FC Porto explica o episódio da tarja no jogo com o Paços

Coletivo 95, uma das claques do FC Porto, deixou o Estádio do Dragão durante a segunda parte do jogo da equipa portista com o Paços de Ferreira.

O Coletivo 95, uma das claques do FC Porto, deixou o Estádio do Dragão durante a segunda parte do jogo da equipa portista com o Paços de Ferreira, no Estádio do Dragão, por ter sido impedida de mostrar uma tarja. Esta segunda-feira, o clube apresentou a sua versão dos factos.

“No FC Porto não há censura. Vem isto a propósito de uma faixa que a claque Coletivo 95 ontem quis exibir e os seguranças não permitiram a entrada. E não permitiram porque a faixa era ofensiva para com os nossos jogadores no decurso de um jogo e isso nunca será permitido no nosso estádio. E porque não há censura, aqui fica a frase: “Vocês só nos fazem mal! O espírito de campeão vive apenas nos nossos adeptos”. Quem nos faz mal, muito mal, não são os nossos jogadores, que lutaram como bravos contra forças extrajogo muito prejudiciais. Não perceber isso é não perceber nada do que foi esta temporada, porque nem foi só no campeonato que o FC Porto foi impedido de vencer. Fora do estádio foi exibida apenas uma parte da frase e sobre isso apenas os responsáveis por essa atitude poderão falar”, escreveu o clube na newsletter Dragões Diário.

“Através de um comunicado, a claque tinha explicado no domingo a decisão de deixar a bancada. “O nosso Grupo (Colectivo Ultras 1995) tomou a decisão de abandonar o sector durante o jogo de hoje, na sequência da proibição comunicada pelo oficial de ligação com os adeptos e pela segurança, de exibirmos frases, tendo mesmo havido ordem para que as mesmas nos fossem retiradas, com recurso a intervenção policial, se necessário”, pode ler-se.

Notícias relacionadas

Leave a Comment