Pediam dinheiro para associação fictícia

A PSP intercetou três mulheres, e um menor de idade que fingia sofrer de surdez e mudez, que realizavam um peditório no Porto para uma associação fictícia, tendo alguns membros sido constituídos arguidos.



Em declarações hoje à Lusa, fonte da PSP do Porto explicou que o grupo de mulheres, com idades compreendidas entre os 16 e 19 anos, e um rapaz de 15 anos, foi intercetado e identificado na terça-feira na avenida Vímara Peres, na cidade do Porto, por suspeita de crimes de furto de carteiras de burla através de “falso peditório”, sendo alguns elementos “constituídos arguidos”, tendo sido identificados com cartões falsos da alegada associação de surdos/mudos.

No decurso de diligências policiais desenvolvidas no âmbito de uma ação policial de combate aos crimes contra património, a PSP apreendeu ainda “quatro pastas de recolha de assinaturas em nome de Instituição de Solidariedade Social de Apoio a Incapacitados” e uma quantia em dinheiro que totalizava “71 euros”.

Porque o jovem é menor de idade, a PSP realizou uma participação por factos ilícitos que foi remetida junto do Tribunal de Família e Menores, lê-se no comunicado de imprensa enviado hoje à comunicação social.

As três mulheres, sem atividade, não têm residência fixa em território nacional, acrescenta a PSP.

A PSP do Porto continua a aconselhar a população a colocar as carteiras dentro dos casacos ou nos bolsos da frente das calças, e nunca dentro de mochilas, como forma de prevenir o furto pelo método de carteirista, tendo lançado o mesmo alerta há cerca de um ano como medida preventiva.

Notícias relacionadas