PORTO – Grupo que assaltava carrinhas de empresas desmantelado

A PSP do Porto desmantelou um grupo organizado que alegadamente se dedicava ao furto de material técnico dentro de veículos automóveis de operadores económicos, numa ação que envolveu 26 buscas domiciliárias e não domiciliárias.

Em comunicado, a PSP refere ter detido cinco homens, com idades entre os 22 e os 50 anos, e uma mulher de 35 anos, alegadamente responsáveis “pela prática reiterada de furto de material técnico do interior de veículos automóveis ao serviço de diversos operadores económicos, onde, através de arrombamento, subtraíam máquinas, ferramentas e material eletrónico, na zona Norte do país”.


Depois de uma investigação que teve início em janeiro do ano passado, no âmbito desta ação, que decorreu na segunda-feira, foram realizadas 21 buscas domiciliárias e cinco não domiciliárias nas áreas do Porto, Ermesinde, Alfena, Santa Maria da Feira, Aveiro, Vila Nova de Famalicão, Barcelos, Penafiel, Paços de Ferreira, Gondomar e Açores.

A PSP apreendeu centenas de ferramentas e máquinas diversas (desde bombas de vácuo, compressores, máquinas de lavagem de alta pressão, berbequins, rebarbadoras, máquinas de jardim, caixas de ferramentas profissionais e de áreas técnicas muito específicas) de elevado valor patrimonial, bem como diverso material audiovisual, informático, de telecomunicações e eletrónico (“lcd’s”, “tablet”, computadores portáteis, telemóveis, “gps’s”, aparelhos de medição de redes elétricas, entre outros artigos).

Em declarações à Lusa, fonte da PSP do Porto afirmou que cada um dos elementos do grupo “tinha funções bastante definidas”, sendo que um deles, por exemplo, era o responsável por identificar as carrinhas de empresas na via pública, que depois eram assaltadas por outros, durante a madrugada.

A mesma fonte referiu existirem “70 queixas” relacionadas com este tipo de crimes contra o património, designadamente furto qualificado no interior dos veículos, mas que “há-de haver mais”, certamente.

No comunicado, a PSP afirma ainda que “os suspeitos atuavam geralmente de madrugada e nessas investidas era evidente o interesse por ferramentas, máquinas e artigos de eletrónica que, numa fase posterior, eram entregues a recetadores ou transacionados através de sítios de anúncios classificados na internet”.




“Em resultado das práticas ilícitas referenciadas resultaram prejuízos na ordem dos milhares de euros”, conclui a PSP.

Foi ainda aprendido haxixe suficiente para cerca de 747 doses individuais, uma arma de “airsoft”, diversas armas brancas e munições de diferentes calibres.

A mesma fonte da polícia apelou àqueles que terão sido vítimas deste tipo de furto que se dirijam à PSP, para resgatarem o material que lhes terá sido roubado.

Apelou ainda à população para que “desconfie sempre” que, em páginas online de vendas, vir este tipo de material com um preço muito inferior ao que é habitualmente pedido em loja. “Sempre que houver uma discrepância grande no preço é de desconfiar”, sublinhou.

Os detidos são esta terça-feira presentes às autoridades judiciárias.

 

fonte: JN

Segue-nos...

Notícias relacionadas