Vídeo▶️ Pizarro lança a ideia de uma nova marca no Porto que associe indústrias da saúde





O socialista Manuel Pizarro, que lidera a lista do PS à segunda autarquia do país, considera “prioritário” criar um projecto “em torno das indústrias ligadas à saúde” e defende a criação da marca “Porto Health Inovation District”, destinada a associar as indústrias deste sector existentes na Área Metropolitana do Porto (AMP).

O tema esteve em debate, nesta quinta-feira, num encontro que juntou a direcção da Associação Comercial do Porto (ACP) e elementos da lista de Manuel Pizarro à câmara e também o cabeça de lista à Assembleia Municipal do Porto, Luís Braga da Cruz.

No final da reunião, que decorreu à porta fechada, Manuel Pizarro declarou que, para além do turismo, são precisas “outras actividades” para o desenvolvimento económico do Porto e da região, uma vez que a cidade tem “no domínio assistencial, académico e no domínio da investigação uma grande liderança à escala europeia que – considerou – justificaria a criação de um ‘cluster’ na área da saúde”, que seria um Porto Health Inovation District.

Nesse sentido, Pizarro defendeu que a cidade do Porto deve criar para si própria “uma nova marca que permita associar os diferentes domínios na área da saúde”. E explicou: “Precisamos de agrupar tudo numa marca que nos ajude a ganhar maior visibilidade e maior atracção de investimento”.

E como o projecto precisa de financiamento, o candidato tratou de dizer que o PS está “atento ao actual e ao futuro quadro comunitário de apoio” e não afastou a possibilidade de recorrer a “financiamentos directos da União Europeias”. De seguida, o também vereador do PS na Câmara do Porto pediu à ACP o seu “apoio para a criação da agência da Área Metropolitana do Porto em Bruxelas”, junto da Comissão Europeia.

A criação da agência da Área Metropolitana do Porto em Bruxelas é uma ideia que o candidato tem vindo a defender no âmbito da campanha eleitoral e que, na sua perspectiva, pode tornar os municípios “mais proactivos” e com capacidade de “influenciar” a distribuição de fundos comunitários.

O presidente da ACP, Nuno Botelho, por seu lado, mostrou-se receptivo à ideia do candidato socialista e declarou que a criação da agência é uma “questão pertinente, que é válida por si e vem ao encontro daquilo que a associação tem vindo a dizer ao longo dos anos”, ou seja, que o Porto e o Norte “precisam cada vez mais de uma voz que se afirme nacional e internacionalmente”.

“Esta é só mais uma batalha, um trabalho que achamos que a instituição pode fazer em prol da região e é com gosto que recebemos aqui as pessoas com ideias válidas e que podem ser aproveitadas”, sublinhou Nuno Botelho.


fonte: publico.pt

PUB - Suscreve o nosso canal Youtube e ativa as notificações 👇

Notícias relacionadas