Fraude: Tirava fotos a menino doente e dizia que era seu filho





Mulher tirou fotografias e partilhou nas redes sociais. Juiz decidiu não julgar o caso, mas Tribunal da Relação do Porto revogou essa decisão e manda julgá-la

Emissão em Direto:

Uma mulher vai ser julgada por se ter feito passar por mãe de uma criança doente. Um juiz do tribunal de instrução de Marco de Canaveses tinha decidido não levar o caso a julgamento, mas o Tribunal da Relação do Porto entendeu agora revogar essa decisão. A mulher vai mesmo ser julgada, segundo conta hoje o Jornal de Notícias.

Enfermeira, com 32 anos, esta mulher aproximou-se de uma outra cujo filho estava em tratamento no Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto. No Facebook falava da filha, que dizia também estar doente. Nessa rede social, anunciou, aliás, a morte da menina, segundo conta o JN. Terá começado a frequentar o IPO e, por solidariedade na dor, a queixosa deixou-a aproximar-se do filho.

Ao longo de meses, a mulher terá ido ao IPO e tirado fotografias que o menino, as quais partilhou no Facebook, como se fossem o seu filho, doente.




A verdadeira mãe da criança descobriu a fraude, conta o JN, e fez queixa. O Ministério Público decidiu acusa a enfermeira, mas, em março, o juiz do Tribunal de Marco de Canaveses entendeu não levar a mulher a julgamento, por considerar que a acusação se baseava apenas nas declarações da queixosa e em meia dúzia de printscreens.

O Ministério Público recorreu e agora, conta o JN, o Tribunal da Relação do Porto decidiu julgar a mulher, considerando que existem dois meios de prova suficientes. A enfermeira será julgada por sete crimes de gravações e fotografias ilícitas.


Segue-nos...

Notícias relacionadas