Sérgio Conceição: “Os jogadores fizeram um trabalho excelente”





Na antevisão da partida Sérgio Conceição tinha prometido que neste jogo a grandeza do FC Porto iria ser demonstra e agora, depois de um triunfo por 3-0 sobre o Mónaco, o treinador lembrou as suas palavras no lançamento do jogo para deixar mais uma promessa: “não deixaremos cair a grandeza deste clube”. Esta terça-feira, no Estádio Luís II, foi de facto um grande FC Porto aquele que venceu o campeão francês e o treinador portista foi o primeiro a reconhecê-lo.

Entre elogios ao grupo e à forma como trabalha a cada dia para estar no máximo, o técnico admitiu que as mudanças face ao jogo com o Besiktas foram importantes para o bom desfecho deste, frente a “uma grande equipa”. Por fim, teve ainda tempo para fazer a vontade aos jornalistas franceses e responder em francês a uma questão lançada por um dos orgãoes daquele país presentes na sala de imprensa.

Elogios à exibição e ao grupo
“Tenho que dar os parabéns aos jogadores pela exibição que fizeram e por terem conseguido pôr em campo todo o trabalho que fizemos. Tenho um grupo fantástico, que acredita no trabalho, no que se diz e na mensagem que é passada. Isso deixa-me orgulhoso. No que diz respeito à Liga dos Campeões, nem eramos os piores depois de perder com o Besiktas, nem somos os melhores porque ganhámos hoje aqui ao Mónaco. Foi uma demonstração de força, não só dos nossos jogadores, mas também dos nossos adeptos. Por momentos, se fechasse os olhos, poderia pensar que estávamos a jogar em casa.”




A resposta “europeia”
“Ganhamos 3-0 em casa da equipa que teoricamente era a mais forte do grupo. O FC Porto vai lutar sempre pelos três pontos num grupo muito equilibrado. Agora é pensar no jogo como Sporting e deixar as provas europeias para depois. Mas ficou provado que este clube tem uma grandeza e uma história muito importante nas competições europeias e nós não a deixaremos cair.”

A opção por Sérgio Oliveira
“Eu tenho todos os jogadores à minha disposição e sei que estão todos preparados para jogos. E digo isto não para ser simpático, mas porque todos trabalham no máximo e aqueles que não estão a ser os mais utilizados trabalham de uma forma fantástica para estarem bem quando são chamados. No caso do Sérgio achei que ele ia encaixar bem no corredor central para aquilo que eu tinha pensado para o jogo e foi aquilo que aconteceu. Fico feliz por ele, mas o mais importante é sempre a equipa.”




As mudanças face ao jogo com o Besiktas
“Como treinador assumo sempre a responsabilidade nas derrotas. Obviamente que eu não vou para dentro do campo, mas a estratégia é preparada por mim e quando se perde nenhuma estratégia é boa. Não vou entrar em pormenores. Penso que hoje fomos um pouco mais expectantes na fase construção do Mónaco, metendo mais um jogador na zona central nesse início de construção, porque sabíamos que os alas do Mónaco jogam muito por dentro. Sabíamos que tínhamos que sair com critério e o que fazer para ferir o Mónaco…e foi isso que fizemos. Mesmo no início, nos primeiros 10, 15 minutos, tive a certeza que seria difícil nós irmos perder este jogo porque estávamos muito bem.”

A saída de Aboubakar e Brahimi
“Para nós era mais importante refrescar as alas do que ficar com menos um jogador no corredor central. Em alguns momentos, as situações dificeis que poderíamos ter eram de cruzamentos e era por aì que teriamos que condicionar o Mónaco. E foi por essa razão que decidi tirar o Aboubakar e Brahimi, passando o Marega para a frente, com movimentos diferentes do Aboubakar. E assim ganhámos consistência nas laterias, correu bem e foi importante.”
Share
NOTÍCIAS REL

Notícias relacionadas