Porto entre os cinco favoritos a acolher a Agência Europeia do Medicamento

É uma óptima classificação, mas resta saber que peso vai ter num campeonato que se adivinha muito renhido: o Porto surge entre as cinco cidades favoritas para receber a Agência Europeia do Medicamento (EMA, na sigla em inglês), num estudo encomendado pela Associação Comercial do Porto (ACP) a uma consultora internacional e que esta terça-feira foi apresentado. O Porto surge a par de Amesterdão, Copenhaga, Estocolmo e Viena na lista dos destinos favoritos para acolher a agência que vai deixar Londres em 2019, na sequência do Brexit.

Emissão em Direto:

“O Porto é uma cidade fervilhante e competitiva e está neste jogo para ganhar”, acredita Nuno Botelho, presidente da ACP, que recordou que a eventual relocalização da EMA no Porto criaria cinco mil postos de trabalho directos e receitas fiscais da ordem dos 165 milhões de euros.

Para já, as cinco cidades foram classificadas como “top performers” (entre as 19 candidatas) neste trabalho de avaliação que a própria consultora admitiu revestir-se de uma “inultrapassável dose de subjectividade”. Do lado oposto, classificadas como “candidaturas não adequadas”, aparecem Bucareste, Malta, Sófia e Varsóvia.

Pontuação máxima
Efectuado pela Ernst and Young, o estudo A posição do Porto no processo de relocalização da EMA indica que a cidade portuguesa obteve pontuação máxima em quatro dos seis critérios levados em conta: as condições dos espaços propostos, a integração dos 890 funcionários e suas famílias, a garantia de um processo de transição eficaz e tranquilo, e ainda o critério que leva em conta o número de agências europeias descentralizadas (instaladas em cada país). O principal pronto fraco do Porto são as as acessibilidades e as ligações aéreas.

Segue-se agora todo um trabalho de lobbying, que está a ser conduzido pelo secretário de Estado dos Assuntos Europeus e pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros, através da rede de diplomatas. A decisão final está agendada para Novembro. Mas um dos representantes da Câmara do Porto na comissão de candidatura, Eurico Castro Alves, prometeu que se irá avançar com ideias “fora da caixa”, sem adiantar quais.

Contra o Porto perfila-se já uma avaliação recentemente pedida pela indústria farmacêutica, que concluiu que a candidatura de Copenhaga é a que oferece melhores condições aos agentes do sector. A candidatura portuguesa aparece nos últimos lugares, com Malta, Bucareste e Sófia atrás. Este estudo foi pedido pela Federação Europeia da Indústria Farmacêutica (EFPIA), e foi publicado no site Politico.

Também realizado por uma consultora internacional (a Charles River Associates), este estudo não levou em conta um dos seis critérios de avaliação definidos pela Comissão Europeia – o da localização geográfica das várias agências europeias, que tenderá a privilegiar países que ainda não tenham qualquer agência. Portugal tem duas em Lisboa – a Agência Europeia da Segurança Marítima e o Observatório Europeu da Droga e Toxicodependência.

artigo fonte: https://www.publico.pt/2017/10/10/sociedade/noticia/porto-entre-os-cinco-favoritos-a-acolher-a-agencia-europeia-do-medicamento-1788305

Segue-nos...

Notícias relacionadas