PORTO: Crianças eram violadas dentro da igreja

Membro de uma congregação cristã, o arguido, de 63 anos, lecionava aulas de violino a crianças e adultos que queriam integrar a orquestra da igreja do Bonjardim, no Porto.

Foi nesse templo religioso que o arguido, entre 2014 e 2015, atacou duas menores, de 12 e 13 anos, as quais sujeitou a diversos atos sexuais. O predador, que está em preventiva, foi esta quarta-feira condenado no Tribunal de S. João Novo, a seis anos e três meses de prisão. Tem ainda que pagar 25 mil € de indemnização a uma das vítimas.

O arguido foi condenado por dois crimes de abuso sexual de crianças e um de abuso sexual de menor dependente. “O que fez é indescritível e imperdoável. O senhor não interiorizou o que fez. Espero que o período de reclusão lhe faça mudar o seu comportamento. A sua conduta marcou para sempre a vida destas crianças”, disse o juiz no final da leitura do acórdão.

Sempre que estava a sós com as menores, durante as aulas de violino, no interior da igreja, o predador apalpava-lhes os seios e a vagina, por cima e por baixo da roupa. Num dos casos, uma das crianças foi obrigada a fazer sexo oral ao arguido – que foi detido em maio de 2017.

PORMENORES

Confiança no arguido
A família da menor de 13 anos confiava de tal forma no professor que aceitava que este a conduzisse a casa – mas a menina era levada para uma zona isolada, onde era atacada. Vivia aterrorizada com tais condutas.

Surpreendido a atacar
Em novembro de 2015, o docente foi surpreendido a atacar uma das crianças junto ao órgão da igreja. O caso nunca foi denunciado pela congregação, tendo sido abafado durante mais de um ano. Depois, o professor foi de imediato afastado de exercer as funções.

Notícias relacionadas