PORTO: Funcionária da segurança social acusada de de ficar com mais de 2 mil euros

O Ministério Público (MP) acusou uma assistente administrativa da Segurança Social do Porto, em funções na Póvoa de Varzim, de se apropriar de 2.162 euros, anunciou esta segunda-feira a Procuradoria-Geral Distrital (PGD) do Porto.

Na sua página oficial, a procuradoria adiantou que a arguida, sobre a qual foi deduzida acusação a 16 de fevereiro, está acusada de um crime de peculato.

De acordo com a acusação, citada na nota, a assistente administrativa principal no Centro Distrital de Segurança Social do Porto, em funções no serviço local de atendimento da Póvoa de Varzim, apropriou-se de 2.162 euros relativos a prestações e contribuições entregues por utentes e beneficiários da instituição. Os factos terão ocorrido entre 09 de maio e 13 de junho de 2016, acrescentou a PGD. “A arguida recebia dos utentes as quantias devidas à Segurança Social e não registava o seu recebimento na ‘Gestão de Tesouraria’, ficando com elas e, ao utente, entregava uma segunda via de um recibo de pagamento anterior como se reportado ao efetuado naquela data”, sustenta a acusação.

Notícias relacionadas