Parques da Praça dos Poveiros e do Palácio de Cristal deixam de ser concessionados

A Câmara do Porto vai gerir os parques de estacionamento da Praça dos Poveiros e do Palácio de Cristal, cujas concessões terminam, respectivamente, em Abril e Maio. A “internalização” destes parques, que já tinha sido anunciada pelo presidente Rui Moreira no final de Janeiro, vai ser acompanhada de uma alteração dos preços praticados actualmente no Silo-Auto. A proposta que deverá ser aprovada na reunião do executivo desta quarta-feira aponta para uma baixa de preços.

Se, como é previsível, a proposta for aprovada, os utilizadores dos três parques de estacionamento vão notar a diferença na hora de pagar a conta. Neste momento, deixar o carro durante o dia em qualquer um dos dois parques concessionados implica o pagamento de uma taxa de 60 cêntimos nos primeiros 15 minutos e de 1,80 euros por uma hora. Já no Silo-Auto, cuja gestão está nas mãos da Porto Lazer, os custos são, neste momento, de 55 cêntimos nos primeiros 15 minutos, valor que se altera, nas fracções seguintes para 50 cêntimos (2.ª e 3.ª fracções de 15 minutos), 45 cêntimos (da 4.ª à 10.ª fracção), 40 cêntimos (da 11.ª à 16,ª) e os 35 cêntimos (17.ª fracção e as seguintes).

O novo tarifário proposto pela autarquia, para ser aplicado nos três parques, é 35 cêntimos para os primeiros 15 minutos de estacionamento, 15 cêntimos para 2.ª fracção, 25 cêntimos para as 3.ª e 4.ª fracções, e 30 cêntimos da 5.ª fracção em diante. Já o preço das avenças mensais não sofre alterações, no caso do Silo-Auto, mas introduz novas possibilidades para os utilizadores dos outros dois parques.

No caso dos Poveiros, com 278 lugares, a avença mensal para o público em geral fica nos 80 euros, valor que baixa para 30 euros no caso dos residentes e se fixa nos 64 euros para os comerciantes. No Palácio de Cristal, com os seus 490 lugares, apenas a avença mensal para residentes é idêntica à dos Poveiros e do Silo-Auto (30 euros), sendo proposto um valor de 65 euros para os utilizadores normais e de 52 para os comerciantes.

Na proposta agendada para a reunião de câmara refere-se que “não existem obstáculos do ponto de vista estritamente financeiro” a estas alterações, uma vez que a verba que a câmara pretende arrecadar com a gestão dos dois parques até agora concessionados deverá ser muito superior ao que auferia neste momento. A comparação estabelecida pelo município é entre o valor mensal da concessão que recebe por cada um dos dois parques em 2018 – cerca de 3500 euros no caso do Palácio de Cristal e de 5500 nos Poveiros – e o valor médio que arrecada com o Parque de Estacionamento da Trindade, que considera semelhante aos outros dois em termos de “localização, capacidade e características físicas”. Aqui, o valor conseguido pela autarquia é superior a 22.600 euros mensais.

PUB - Suscreve o nosso canal Youtube e ativa as notificações 👇

Notícias relacionadas