PORTO: Rali Street Stage vai condicionar mais de 40 linhas de autocarros

A classificativa do rali de Portugal no Porto, a decorrer na próxima semana, vai implicar alterações nos percursos de mais de 40 linhas da STCP devido à impossibilidade de atravessamento de uma área alargada da Baixa da cidade.

Este ano, a classificativa do rali de Portugal no Porto, em maio, tem um novo traçado, em plena Baixa, começando na Sé e passando por São Bento, Sá da Bandeira, D. João I, Aliados e Cordoaria.

Em resposta à Lusa, a Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) afirma que “os diferentes percursos que habitualmente finalizam viagens” na zona da Baixa, cujo trânsito estará condicionado, “irão terminar fora dessa área”, entre as 21 horas de quinta-feira e as 7 horas do dia 19.

As linhas circulares 302 (praça D. João I) e 303 (praça da Liberdade) “irão efetuar um término na Boavista, ficando o término do lado oposto da cidade no campo 24 de Agosto”.

Já a linha 207 (Mercado da Foz/Campanhã) só circulará entre o mercado e a rua da Restauração, sendo o percurso entre a Baixa e Campanhã servido pela linha 400, cujo término se deslocará para a Batalha.

A linha 900 vai ser suprimida, sendo substituída pelas linhas 901 e 906, que efetuarão o término na Batalha, e os elétricos 18 e 22 “também não poderão circular no dia 18”.

A STCP refere que as linhas 200, 201, 207, 208, 501, 507, 601, 602, 1M, 10M, 12M e 13M terão término na rua da Restauração.

Já os autocarros das linhas 202, 304, 600, 3M, 4M e 11M terminarão os seus percursos na Trindade, enquanto que as linhas 305, 401, 700, 800, 801, 7M e 8M ficarão pela rua Alexandre Braga.

A Lusa contactou a Câmara do Porto para saber quais os condicionamentos de trânsito previstos no âmbito da realização desta classificativa na Baixa, mas até ao momento não obteve resposta.

O traçado do rali na Baixa estende-se por 1950 metros, iniciando-se no topo da avenida Dom Afonso Henriques [perto da Sé], onde estava localizada a chegada há dois anos, para terminar junto ao Tribunal da Relação do Porto, ao lado do Jardim da Cordoaria.

De acordo com informação da Câmara do Porto, no dia 18, “após a descida em direção à Estação de São Bento, os concorrentes seguem pela rua Sá da Bandeira”, maioritariamente interdita ao público “por questões de segurança”, passando ainda na praça D. João I, rua Magalhães Lemos, avenida dos Aliados”, praça da Liberdade e rua dos Clérigos, até ao Tribunal da Relação, na Cordoaria.

Depois da “descida em direção à Estação de São Bento, os concorrentes seguem pela rua de Sá da Bandeira, num local que estará maioritariamente interdito ao público, por questões de segurança”.

Após o “cruzamento com a rua de Passos Manuel, os carros cortam à esquerda, para a Praça D. João I, e prosseguem pela rua Magalhães Lemos, até à entrada na faixa ascendente da avenida dos Aliados, onde estará localizado o primeiro de dois saltos da Porto Street Stage”.

Será nos Aliados, segundo a Câmara, que vai estar “localizado o primeiro de dois saltos da Porto Street Stage”, “a classificativa espetáculo que, tal como em 2016, integrará o figurino oficial do Rally de Portugal”, com “uma inédita passagem pela zona dos Clérigos.

A descida da avenida dos Aliados será feita “após uma passagem pela frente do edifício da Câmara do Porto”.

No sentido descendente dos Aliados, os pilotos seguem “até à praça da Liberdade onde, após novo pião (idêntico ao de 2016), subirão a rua dos Clérigos contornando a Igreja pela direita”.

Notícias relacionadas