Jornal inglês afirma: “O vinho do Porto é “perfeito” para dormir bem”

O conselho, em tom de elogio, é de Jancis Robinson, a provadora preferida da Rainha Isabel II, de Inglaterra: o vinho do Porto é “perfeito” para dormir bem. E “a qualidade (da produção) está melhor do que nunca”, escreve a jornalista e crítica inglesa, num artigo publicado num dossier sobre sono no jornal inglês Financial Times.

“Grande admiradora dos vinhos portugueses”, como já admitiu ao Expresso, Jancis Robinson centra-se desta vez no Vinho do Porto, indicando que pode ser a bebida certa para terminar o dia da melhor maneira. Na verdade, diz, “vinho e sono podem ser considerados companheiros de cama perfeitos”.

Conhecida nos Estados Unidos como a “First Lady of Wine”, com os seus 40 anos de experiência no sector e o título de Master of Wine, atribuído apenas a cerca de 500 de pessoas no mundo, Jancis admite que alguns tipos de vinho até podem funcionar como estimulantes. “O champanhe parece mais acordar-me”, comenta. “Mas tenho de admitir que a maioria dos vinhos, quando ingeridos em quantidade suficiente, têm um efeito soporífero”, acrescenta e, a partir daqui, centra toda a conversa no vinho do Porto.

Jancis sabe que em Portugal as pessoas até podem beber um cálice de Porto em diferentes momentos do dia, mas também sabe que em Inglaterra e noutros países este vinho só é bebido à noite, depois do jantar. “É a última coisa a passar nos nossos lábios antes da pasta dos dentes”, comenta.

Muitos consideram o Porto “muito forte e/ou muito doce?”. É verdade e “é triste”, diz Jancis Robinson. “A qualidade do Porto que está a ser feito hoje é maior do que nunca e oferta que é possível encontrar fora de Portugal é mais vasta do que no passado”, justifica.

INVESTIR NUM VINTAGE

No elogio que faz à qualidade dos vinhos do Porto que chegam hoje ao mercado, a provadora da rainha de Inglaterra fala do envelhecimento em cascos de madeira e destaca a oferta em categorias como os Tawny, mas não esquece os vinhos mais jovens, os Colheita, até os brancos, que costumavam ser servidos apenas como aperitivo, com ou sem água tónica, e hoje estão mais interessantes.

E fala dos Vintage, a jóia da coroa no vinho do Porto, até porque os principais produtores declararam 2016 um ano Vintage. É verdade que nas décadas de 60 e 70 este segmento de negócio “perdeu brilho” para quem investe em vinho, mas Jancis Robinson reconhece a existência de sinais de que o interesse à volta desta categoria está de novo a emergir.

Para isso contribuiu o trabalho feito para criar valor no mercado e a redução da oferta desta categoria. Se uma casa como a Taylor´s produzia 26 mil caixas de um Vintage na década de 80, a quantidade em 2016 anda nas 6.500 caixas, exemplifica. E admite, até “escassez mundial” no Vintage de 2016, o que certamente ajudará a puxar pelo preço esta categoria de vinho, tradicionalmente declarada três vezes em cada década.

A terminar, mais um elogio: “a maioria dos Porto Vintage de 2016 é certamente impressionante”. E um alerta quanto à melhoria registada na qualidade do vinho de mesa português. No Douro, o Porto seria, no passado, quase o único vinho que valia a pena ser servido no final da refeição. Hoje, os vinhos servidos até chegar ao momento do digestivo “são uniformemente deliciosos” e isso significa que pode ser preciso ir mais cedo para cama.

No seu site, www.JancisRobinson.com, a jornalista já tinha publicado um texto a elogiar a qualidade dos Porto Vintage 2016, depois de uma prova, em Londres, dos grupos Fladegate, Symington e Quinta do Noval, considerando que os novos vinhos provam a continuada “sofisticação” da produção.

artigo transcrito do EXPRESSO: http://expresso.sapo.pt/sociedade/2018-05-27-Quer-dormir-bem–A-conselheira-da-rainha-de-Inglaterra-ensina-beba-vinho-do-Porto#gs.gFcIZKM

Notícias relacionadas