▶Vídeo: Assim se vibrou no PORTO com os golos de Portugal

Milhares de pessoas vibraram esta sexta-feira, no Porto, com o “hat-trick” de Cristiano Ronaldo na estreia de Portugal no Mundial de futebol de 2018, em que empatou 3-3 com a Espanha, numa festa que se estendeu além do final do jogo.

Ângelo Coelho, madeirense emigrado na África do Sul e equipado com a camisola de Portugal, rotulou a exibição do seu conterrâneo de “fantástica” e, quando questionado se Cristiano Ronaldo ainda continuava a surpreender, respondeu, orgulhoso, à Lusa: “é o melhor do mundo”. De copo de cerveja na mão e rodeado por outros eufóricos com a exibição da seleção, afirmou ainda que “Portugal vai ganhar o título” de campeão do mundo, sublinhando ser esta “palavra de madeirense”. “Vamos ganhar, simples”, concluiu.

Ally, uma inglesa de Manchester, adepta do City, festejou a vitória de Portugal com a bandeira nacional às costas, afirmando ter “adorado a possibilidade de assistir ao jogo naquele ambiente”. “Sou adepta do City, não ‘conheço’ o Cristiano Ronaldo [representou o clube rival em Manchester, o United], mas ele hoje foi maravilhoso”, acrescentou a adepta inglesa antes de ser “engolida” pela multidão entusiasta.

Encostada ao muro da antiga Cadeia da Relação do Porto, de sorriso largo e envergando uma camisola com as cores e o emblema de Portugal, Anila Freitas, brasileira há três semanas no país, garantiu à Lusa ter “vibrado” com o jogo, comparando a emoção portuguesa com a que se recorda do Brasil para garantir que “lá é melhor”. A seu lado, Maria José Pereira colocou as mãos no peito quando questionada como viveu os três golos portugueses: “foram muitos nervos, fiquei muito ansiosa, mas nós somos bons”, rematou.

Do outro lado da praça, com a camisola ‘canarinha’ vestida e com a bandeira portuguesa pelas costas, Júlio assumiu-se “português” enquanto viver cá, depois de ter chegado ao Porto há quatro meses. Viver a “copa” fora do Brasil é “diferente”, assumiu o estudante brasileiro, que disse sentir “uma vibração diferente” e depois dos três golos de Cristiano Ronaldo, apesar do Brasil “estar bem à frente tecnicamente”, ter um goleador como o capitão da seleção nacional “será sempre um perigo para o Brasil” na luta pelo título mundial.


E se a festa chegou ao intervalo com a multidão a entoar a canção que os jogadores portugueses celebrizaram após a conquista do Euro2016, o final do jogo aconteceu com (quase) todos a gritarem o nome do herói da noite, depois de uma partida em que Cristiano Ronaldo os fez festejar a abrir e a fechar o jogo.

PUB - Suscreve o nosso canal Youtube e ativa as notificações 👇

Notícias relacionadas