“Ronaldo sai da zona de conforto, Messi nunca se mexeu”, diz conhecido jornalista argentino

Martin Liberman, conhecido jornalista argentino, comentou a transferência de Cristiano Ronaldo do Real Madrid para a Juventus.

Este elogia a decisão do internacional português, considerando que o português deu este passo, saindo pela zona de conforto, ao contrário de Messi. Liberman aponta Ronaldo como um dos melhores jogadores da história e não tem dúvidas de que o goleador luso marcou uma era no Real Madrid.

O argentino chama a atenção dos seus compatriotas para que valorizem os méritos de Ronaldo e que não se deixem cegar pelo facto de Messi ser argentino.

Por último Liberman considera que Ronaldo mudou-se para Itália pelo desafio de levar a Liga dos Campeões para a Juventus e não pelo dinheiro.

Estamos a falar de um dos melhores jogadores do século. O outro que é um dos melhores do século nunca se mexeu.

Gosto muito daqueles que saem da zona de conforto. Ele chega ao futebol português, é campeão e destaca-se. Chega ao campeonato inglês, é campeão, destaca-se e ganha uma Liga dos Campeões. Chega a Espanha, é campeão, destaca-se transforma-se num dos melhores jogadores da história, no maior clube da história do futebol mundial.

A história do Real Madrid, a partir de hoje, com a sua partida, fica marcada por Alfredo Di Stefano e Cristiano Ronaldo. Não há mais ninguém. São apenas esses dois.

Nesta comparação que estabelecemos sempre, e por ser argentino parece que não se pode desfrutar, caímos sempre no mais fácil de não darmos os méritos que Ronaldo tem. Tem tantos méritos como Messi. Aliás, acho que até em alguns pontos tem mais, porque ele quer demonstrar-se permanentemente.

Teve a sorte de vencer em Inglaterra, de vencer em Espanha, de vencer em Portugal e com a sua Seleção. E agora quer vencer em Itália. Vejam o que acontece na Juventus. Têm vencido tudo em termos domésticos, mas ficam sempre à porta internacionalmente.

Imagino que o desafio de Ronaldo deva ser ir para a Juventus para vencer a Liga dos Campeões. Gosto muito das pessoas que saem da zona de conforto.

Jogava no maior clube do mundo, ganhava o maior salário do mundo, juntamente com Messi, e ele decide deixar isso tudo de lado.

Claro que vai ganhar muito na Juventus, mas para ele não se resume a dinheiro. Os tetranetos de Ronaldo vão comer caviar e ter cinco barcos cada um, mesmo que ele não faça mais nada. Claramente o que o move é o desafio desportivo, a glória.”

Confere o vídeo:

Notícias relacionadas