MATOSINHOS: Recluso espanca dois guardas prisionais

O homem que degolou um médico por desavenças, em Lisboa, em 2011, e depois matou outro recluso quando cumpria a pena em Linhó, espancou agora dois guardas prisionais em Santa Cruz do Bispo, Matosinhos.

Ao que o CM apurou, trata-se de Miguel Ângelo Silves, um cabo-verdiano, hoje com 32 anos, que está condenado à pena máxima pelo homicídio do cirurgião Manuel Noya. Matou-o com 18 facadas, uma das quais na garganta.

O mesmo homem, em 2015, assassinou um recluso durante uma rixa entre presos no interior da cadeia de Linhó. Após esta situação foi transferido para a cadeia de Matosinhos.

Na quinta-feira, em circunstâncias ainda por apurar mas que fonte da guarda-prisional garante ao CM estar relacionada com a falta de medicação adequada, Miguel Ângelo atacou dois guardas.

A Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais confirmou que o detido “teve uma descompensação psiquiátrica e quando estavam a ser usados meios de contenção atingiu dois guardas prisionais. Estes guardas foram, por precaução, observados no hospital, tendo retomado o trabalho”.

Artigo CM

Notícias relacionadas