Rui Moreira: “O poder político sucumbiu à máquina do Estado”

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, reagiu esta segunda-feira à decisão anunciada pelo ministro da Saúde de suspender a ida do Infarmed para aquela cidade e disse que “o poder sucumbiu à máquina do Estado”. Moreira acrescentou ainda que o Infarmed “nunca sairá de Lisboa”.

“É um processo em que o poder político sucumbiu àquilo que é a máquina do Estado e à máquina instalada”, disse o autarca à entrada da Fundação Cupertino de Miranda, onde se realizará ainda esta noite um jantar-debate organizado pelo seu movimento.

Rui Moreira acrescentou que ninguém do Governo perdeu cinco minutos para lhe dar uma palavra sobre o assunto. “Fomos confrontados através da comunicação social com o que vai contra uma deliberação do Conselho de Ministros. Ninguém do Governo falou comigo que seja do meu conhecimento”, garantiu.

“Há um ditado que diz: tudo como dantes, quartel-general em Abrantes”. Neste caso, assume, é tudo como dantes, Infarmed em Lisboa. “Não me verão rasgar vestes por isto”, disse ainda.

PUB - Suscreve o nosso canal Youtube e ativa as notificações 👇

Notícias relacionadas