43.ª edição do Portugal Fashion regressa esta quinta-feira à Alfândega do Porto

A 43.ª edição do Portugal Fashion regressa esta quinta-feira à Alfândega do Porto e ao longo de três dias estão agendados 35 desfiles no evento de moda que encerra sábado com a coleção “30” de Júlio Torcato. Entre os 35 desfiles, uns de moda de autor – 18 criadores individuais e duas duplas criativas -, outros com linhas de pronto a vestir – sete marcas de vestuário -, e coleções de calçado e acessórios (oito marcas), o programa da 43.ª edição do Portugal Fashion fecha no sábado com a celebração dos 30 anos de carreira do ‘designer’ Júlio Torcato.

Júlio Torcato convidou 30 pessoas que marcaram um determinado momento da sua carreira a intervir numa peça de vestuário da coleção “30” que vai ser apresentada no edifício da Alfândega do Porto a partir das 23:00 de sábado. Ana Deus (cantora), Pedro Guedes (modelo), Miguel Viana (cabeleireiro), Antónia Rosa (maquilhadora), Inês Torcato (‘designer’ e filha de Júlio), Miguel Flor (‘designer’ e ex-coordenador do espaço Bloom do Portugal Fashion), Frederico Martins (fotógrafo), Nelson Vieira (produtor de moda), Rúben Rua (modelo) ou Zé Manel (vocalista dos Fingertips) são apenas alguns dos 30 convidados. “Trinta pessoas que marcaram momentos nestes 30 anos foram convidadas.

Trinta peças retiradas daquilo que restou destes 30 anos foram escolhidas. Cada convidado intervém numa peça com liberdade total, transforma-a, reinterpreta-a, sem regras. A coleção é pensada de forma a complementar estas 30 peças surpresa”, conta Júlio Torcato, assumindo que a data é uma partilha com amigos, mas também “marca um momento de reflexão, de procura de novas linguagens, de evolução e de mudança”.

Outra das novidades da 43.ª edição do Portugal Fashion é o regresso da ‘designer’ Maria Gambina, que esteve afastada cinco anos das passarelas para se dedicar ao ensino, bem como as estreias no evento de moda do Porto da dupla Marques’Almeida (que esteve recentemente na semana da moda de Paris), de Sophia Kah (presente na semana da moda de Londres), Rita Sá (‘bloomer’) e ainda de Cristina Ferreira, apresentadora de televisão que vai mostrar a sua marca de calçado e de acessórios CF Cristina.

“É um cartaz que reflete a vitalidade da moda portuguesa e do Portugal Fashion”, conta Mónica Neto, porta-voz do Portugal Fashion, evento que é organizado pela Associação de Jovens Empresários de Portugal (ANJE).

Nesta edição, o Portugal Fashion (PF) volta também a vender presentes solidários da Fundação Infantil Ronald McDonald, e desta vez o ‘designer’ que vestiu os dois bonecos solidários – a Maria e o Pedro – foi Nuno Baltazar. A venda dos dois bonecos solidários, construídos com retalhos de tecido 100% português, a 35 euros cada um, vai reverter a favor da Fundação Ronald McDonald, entidade que apoia atualmente mais de 2.500 famílias em Portugal.

Quem adquirir o casal de bonecos Maria e o Pedro vai poder assistir na primeira fila a um qualquer desfile à escolha incluído no alinhamento da 43.ª edição do Portugal Fashion, indica a organização. O Portugal Fashion arranca ao final da manhã de quinta-feira, no edifício da Alfândega do Porto, com os primeiros desfiles a decorrerem no âmbito do espaço Bloom, uma plataforma do evento destinada à divulgação de jovens criadores e escolas de moda. O dia prossegue em Vila do Conde, onde pelas 19:00 nas instalações da têxtil Cães de Pedra a marca Decenio apresenta a sua coleção primavera/verão 2019, logo seguida da marca Lion of Porches, cujo desfile está agendado para as 20:00.

Para fechar o primeiro dia, o Portugal Fashion regressa à Alfândega do Porto onde são apresentadas as coleções primavera/verão 2019 das ‘designers’ Carla Pontes (21:30), Susana Bettencourt (22:00) e TM Teresa Martins (23:00).

Nomes como a dupla Alves/Gonçalves, Carlos Gil, Diogo Miranda, Fly London, Hugo Costa, Luís Buchinho, Luís Onofre, Nuno Baltasar, Diogo Miranda ou Miguel Vieira, Katty Xiomara, Storytailors, entre outros, também vão passar nos próximos três dias pelo edifício da Alfândega do Porto.

O Portugal Fashion é cofinanciado pelo Portugal 2020, no âmbito do Compete 2020 – Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização, com fundos provenientes do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional. Para o período 2017-2018 o valor aprovado de financiamento foi de “aproximadamente de quatro milhões de euros”, adiantou à Lusa Mónica Neto.

Notícias relacionadas