Sindicato de polícias responde ao MAI: “Senhor ministro, indigne-se”

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, considerou  “absolutamente inaceitável” a divulgação de fotografias de três suspeitos de assaltos a idosos capturados pela PSP. Em reposta, o Sindicato Vertical de Carreiras da Polícia publicou na rede social Facebook uma mensagem dirigida “a todos” os que se indignaram com a divulgação das fotografias dos fugitivos.

“Por favor, Sr. Ministro do MAI, senhores da Amnistia Internacional, Sr.ª Câncio e todos os demais….indignem-se”, pode ler-se na missiva, que acompanha uma montagem que anda a circular na Internet com três idosos com marcas de agressões – não se sabe se são realmente vítimas deste grupo de assaltantes – ao lado de Eduardo Cabrita.

Os três suspeitos de dezenas de furtos a idosos no Grande Porto fugiram do Tribunal de Instrução Criminal do Porto na quinta-feira à tarde, depois de um juiz de instrução lhes decretar prisão preventiva. Após a fuga, as autoridades policiais desencadearam uma operação de captura, alertando então que os foragidos eram considerados perigosos e estavam “potencialmente” armados.

Os homens voltaram a ser detidos na sexta-feira, pelas 17h30, num parque de campismo em Gondomar, tendo em sua posse 40 mil euros em notas de 500 euros. Nas fotografias, partilhadas no Facebook da  partilhadas na página de Facebook do Sindicato Unificado da Polícia de Segurança Pública e divulgadas por vários órgãos de comunicação social, é possível ver os três homens no momento da detenção, já algemados, sentados no chão.

Antes da polémica publicação, o SVCP já publicara um comunicado, na mesma página, considerando que a polémica era um “não caso”.  O sindicato defendeu que “todos os que alimentam a ‘campanha’ contra a PSP e os seus profissionais perfilaram-se, como lobos famintos numa alcateia para se ‘banquetearem com os despojos'”.

“Para trás e esquecidos ficaram 8 meses de trabalho árduo, no qual os agentes envolvidos se entregaram de alma, coração e corpo. Deixaram para trás família e amigos, abnegadamente com o único escopo de devolver tranquilidade e sossego às vítimas e à população”, escreveram ainda os elementos do SVCP.

“Por essa mesma razão, vamos partilhar as fotos da detenção daqueles criminosos, mesmo que não gostem e podem ficar indignados faz favor.Unidos somos muito mais fortes”, remata o comunicado.

Notícias relacionadas