Carrinhas furtadas no Norte eram vendidas em África por 3 mil euros

Há pelo menos dois anos que três indivíduos recebiam carrinhas furtadas no Norte de Portugal para as enviar, via Bélgica, para África, onde eram vendidas por 3 mil euros.

O esquema era simples: encomendavam carros para serem furtados, em todo o Norte do País, e depois viciavam os veículos, segundo avança o JN. Em poucos meses as viaturas eram levadas para Angola, onde eram vendidas sem deixar qualquer rasto.

Num armazém de Oliveira de Azeméis, o líder da organização terá adulterado dezenas de viaturas, mas foi detido, com mais dois cúmplices, pela Polícia Judiciária do Porto.

Há já alguns anos que os empresários ganhavam a vida com a viciação de carros e dedicavam-se sobretudo a alterar carrinhas da marca Toyota, que são muito procuradas em Angola. Tinham em Portugal ladrões que se dedicavam a furtar os veículos pretendidos e que eram roubados desde Mirandela a Oliveira de Azeméis.

Pagavam quantias reduzidas pela entrega dos veículos e, nas próprias oficinas, alteravam as carrinhas: mudavam-lhes a cor, alteravam o número de chassis e arranjavam documentos falsos. As viaturas eram depois levadas para o Norte da Europa, onde eram vendidas pelos empresários portugueses, em média, a 3 mil euros. Depois, seguiam de barco para Angola, sem que fossem declarados.

Os empresários foram constituídos arguidos no processo que ainda decorre e estão indiciados pelos crimes de tráfico ilícito de veículosrecetaçãofalsificação de documento e burla qualificada. Nas buscas realizadas pela PJ do Porto, foi detido um dos colaboradores por estar na posse ilegal de uma arma de fogo e várias munições, tendo sido constituído arguido.

Na operação realizada, a Polícia Judiciária do Porto contou com o apoio da GNR de Oliveira de Azeméis e da PSP de Vila Nova de Gaia e de Mirandela. Na quarta-feira, os empresários foram presentes ao tribunal de Oliveira de Azeméis para primeiro interrogatório. Um deles ficou em prisão preventiva e outro foi libertado, mas tem marcadas apresentações periódicas à PSP.

Notícias relacionadas