João Loureiro não vai recandidatar-se à presidência do Boavista

João Loureiro anunciou, esta quarta-feira, que não irá recandidatar-se à presidência da direção do Boavista, decisão que surge, segundo o próprio, no seguimento “de uma profunda reflexão”.

Num longo comunicado partilhado nas redes sociais do emblema axadrezado, o presidente do clube aponta várias razões como fundamentais para esta tomada de posição, de entre as quais se destaca o sentimento de dever cumprido. “Várias importantes razões, de ordem pessoal, contribuíram para esta minha decisão, mas a mesma deve-se sobretudo ao facto de estar no essencial concluído aquilo a que me propus e na altura anunciei quando, fazem agora exactamente seis anos, me decidi candidatar de novo à Presidência da Direcção”, referiu.

Confessando que, para chegar aqui, “muitas guerras surdas foram vencidas”, João Loureiro manifesta-se satisfeito por aquilo que foi alcançado nestes dois mandatos, dando como exemplo a longa batalha travada para o regresso do clube à 1ª Liga, a aprovação do PER que salvou o clube da insolvência, as conquistas nas várias modalidades, a melhoria das instalações e o reforço na área das novas tecnologias.

O presidente do Boavista aproveitou ainda esta mensagem para deixar uma mensagem de agradecimento a todos os que, diariamente, contribuem e contribuíram para o crescimento da pantera. “Outra, de agradecimento: do fundo do coração, a todos os que me acompanharam durante este período nos Corpos Sociais, aos Directores e Seccionistas, aos Técnicos e Atletas, Equipas Médicas, Funcionários e demais Colaboradores, à Claque Panteras Negras e a todos os Associados e Associadas ou simples Adeptos do Boavista, mesmo àqueles que, por isto ou aquilo, e num ou outro caso eventualmente com razão, discordaram das minhas decisões. Não guardo ressentimentos e todos tenho no coração, porque fazem parte daquela que, a par da de sangue (à qual também muito agradeço o magnífico e caloroso apoio e a paciência para me aturar nos momentos difíceis, e o não me ter cobrado o tempo que, como era minha obrigação, não pude estar junto dela), constitui a minha família: a do Boavista!”, escreveu, anexando, no final, uma fotografia de 1978, altura em que alinhava de xadrez ao peito.

No seguimento desta nota oficial, o Boavista publicou uma outra na qual anunciou que, até esta quarta-feira, dia em que deviam dar entrada na secretaria do clube as listas para a eleição dos corpos gerentes, apenas uma lista se apresentou. João Loureiro surge como candidato a presidente do Conselho Geral, sendo Vítor Murta, até aqui presidente-adjunto, o nome indicado para a presidência da Direção. Manuel José da Conceição Tavares Rijo avança para a presidência da Mesa da Assmembleia Geral, ao passo que Joaquim Carvalho se candidata ao Conselho Fiscal.

Notícias relacionadas