A peste negra que assolou o Porto

Em 1899, ocorreu um surto de peste bubónica no Porto, tendo causado 132 mortes. O Conselho de Saúde estabeleceu um cordão sanitário em torno da cidade.

No dia 4 de julho de 1899, Ricardo Jorge, director do Posto de Saúde Municipal da cidade do Porto, recebeu um bilhete “d’um negociante da rua de S. João”, alertando-o para “uns obitos que se tinham dado na rua da Fonte Taurina”.


Peste Bubónica 1899 – Porto – Bombeiros desinfestando um caixão – Photo Guedes

A rua, situada na zona da Ribeira, era então habitada maioritariamente por galegos, imigrantes que ganhavam a vida como carregadores e moços de fretes.

Não era gente com quem Ricardo Jorge perdesse habitualmente o seu tempo mas, porque o bilhete era de pessoa “de qualidade”, o médico mandou “tomar informações no lugar por um empregado”, que voltou com a notícia de “uma especie de febre com nascidas debaixo dos braços”.

O próprio Ricardo Jorge visita os doentes no dia 6. As “nascidas”, ou “bubões”, que mais não eram que gânglios linfáticos inflamados, e o resto do quadro clínico fazem-no pensar na peste bubónica.


Bubónica-1899-Porto Intervenção sanitária – Foto Aurélio Paz dos Reis

A Junta médica resolve então criar o cordão sanitário, em volta do Porto…

No entanto as operações preventivas, orientadas no sentido de eliminar a peste, tal como a evacuação de casas e o isolamento e desinfecção de domicílios, entre outras, causou o azedume da população urbana devido às perdas económicas.


Peste bubónica 1899 – Porto- Bombeiros e higienistas após a desinfecção de casas – Photª Guedes

A situação de animosidade contra o Dr. Ricardo Jorge (que na altura era o organizador dos Serviços Municipais de saúde e Higiene da Cidade do Porto) foi tal, que o obrigou a partir para Lisboa, onde foi colocado como Inspector-Geral de Saúde Pública.

Dr. Ricardo de Almeida Jorge

Neste contexto, promoveu a criação do Instituto Central de Higiene (1899) e tomou a seu cargo a reforma dos serviços sanitários, adaptando-os ao novo contexto científico, o que conduziu à publicação do Regulamento Geral dos Serviços de Saúde e Beneficência Pública.

A peste bubónica, ou “peste negra”, que no século XIV matara mais de um terço da população da Europa, mantendo-se depois activa até meados do século XVII, nunca desaparecera inteiramente.

Desde 1840, uma nova epidemia espalhava-se lentamente pela Ásia e Índia. Em 1898 houvera notícia de casos em Alexandria e surgia agora no Porto, muito provavelmente por via marítima.


Peste Bubónica. Desinfestação de uma ilha do Porto. Photo Guedes

Artigo realizado segundo as fontes: Monumentos Desaparecidos; PortoArc Blogspot; O Observador

Segue-nos e partilha:

Notícias relacionadas