Vitor Murta defende elementos dos Panteras Negras acusados de espancamento

O novo presidente do Boavista tomou posse esta sexta-feira e assumiu que não é do estilo “politicamente correto”. No seguimento dessa afirmação, colocou-se do lado dos elementos da claque “panteras negras” que estão em prisão preventiva, como suspeitos de, em agosto passado, durante a deslocação do clube aos Açores, terem espancado os funcionários de um restaurante local

“Até para isso há dois pesos e duas medidas. Quando outro clube, com outras cores, foi também a uma ilha e partiu aquilo tudo ninguém ficou preso, nem ninguém ouviu falar disso. Se acham que vão estragar a nossa festa, estão completamente enganado, porque nós somos persistentes e teimosos e vamos levar a nossa até à última. Não há nenhuma injustiça que perdure para sempre e hoje faltam-nos, aqui, três elementos da nossa família. Se Deus quiser e a Justiça for justa em breve estarão connosco. E também queria uma salva de palmas para eles”, declarou Vítor Murta, sobre o caso que marca a atualidade, já na reta final do discurso de tomada de posse como presidente do Boavista.

O sucessor de João Loureiro no referido posto recebeu 334 dos 441 votos nas eleições e empolgou os adeptos presentes no auditório do Bessa, prometendo recuperar o velho “Boavistão”. “Este é um dos dias mais felizes da minha vida, não por ser vaidoso, mas sim por ser presidente do Boavista”, declarou o novo presidente do clube. E prosseguiu com promessas: “No final do meu mandato vamos ter mais gente no estádio, não será fácil, mas pretendemos ter um clima próximo do que era nos tempos do ‘Boavistão'”.

fonte: Jornal de Noticias

Segue-nos e partilha:

Notícias relacionadas