Revolut está a recrutar para novo centro de apoio a clientes em Matosinhos

Matosinhos parece ser a nova ‘casa’ dos unicórnios internacionais. Depois de a alemã Xing ter aberto portas do novo escritório nesta cidade do distrito do Porto, agora foi a vez da britânica Revolut anunciar que será também ali o seu segundo centro europeu de apoio a clientes na Europa.

É já na primavera (ainda sem data concreta) que a ‘Amazon da banca’ inaugurará o novo espaço, naquele que é o seu sétimo maior mercado europeu, contando atualmente com 120 mil utilizadores. Ainda antes da inauguração, a Revolut conta recrutar 70 colaboradores (jovens e/ou com experiência), de acordo com um comunicado enviado esta quinta-feira às redações.

Inscreve-te nesta ligação https://www.revolut.com/careers

“Fizemos uma análise profunda a quase todos os países da Europa para garantir que a nossa decisão atendia às necessidades dos nossos utilizadores. E, independentemente do parâmetro que estivéssemos a usar, Portugal estava sempre entre os líderes. Tem um equilíbrio perfeito entre o custo e a qualidade das operações e oferece muitas possibilidades de contratar profissionais multilíngues”, afirmou Inna Grynova, responsável de Apoio da Revolut.

Com base na informação disponibilizada pela empresa, o investimento deverá ser uma espécie de call-center para ajudar os clientes e interessados em aderir a este “desafiador da banca tradicional”, como se define. “Em setembro tivemos a primeira visita a Portugal e percebemos imediatamente que era o finalista. O país é muito acolhedor, cheio de grandes talentos e jovens profissionais dispostos a mudar o mundo financeiro para melhor”, reforçou a porta-voz da Revolut.

A fintech liderada por Nikolay Storonsky revelou também esta manhã que atingiu os 4 milhões de clientes na Europa e que pretende chegar aos 100 milhões nos próximos cinco anos. Já o volume mensal de transações nesta plataforma aumentou de 2,4 mil milhões de dólares (perto de 2,1 mil milhões de euros) em julho de 2018 para mais de 4,6 mil milhões de dólares (cerca de 4,1 mil milhões de euros) no passado mês de janeiro. Além disso, a empresa com sede em Londres prevê apostar em mais mercados ainda este ano, nomeadamente nos Estados Unidos, Canadá, em Singapura, no Japão, na Austrália e na Nova Zelândia.

Segue-nos e partilha:
error

Notícias relacionadas