DECO alerta: Cuidado com a carne picada nos talhos

A última análise da Deco à qualidade dos talhos portugueses revelou que a carne picada continua sem qualidade, sendo um “cocktail de bactérias e sulfitos”. Segundo o estudo, avançado pelo Jornal de Notícias, foram testadas 20 amostras, recolhidas em outubro de 2018, de 12 talhos da Grande Lisboa e oito do Grande Porto. Apenas quatro foram consideradas de qualidade “razoável” e uma de boa qualidade. 

Das amostras analisadas pela Deco, 15 continham sulfitos, um conservante proibido, e 17 dos talhos não respeitavam a temperatura de conservação. “As temperaturas muito elevadas levam à rápida deterioração de um alimento já de si muito sensível”, explicou ao jornal Nuno Lima Dias, responsável pela investigação. 

Desde 2013 que a Deco analisa amostras de carne picada, continuando estas sem qualidade. “Quem vende carne picada tem a sua quota-parte de responsabilidade na situação”, pode ler-se no estudo da Defesa do Consumidor. “A fiscalização é limitada: em 2018 a Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) dava conta de 24 amostras de carne picada analisadas quanto aos sulfitos. Mais: as sanções são pouco dissuadoras”, garante Nuno Lima Dias.

O estudo recomenda assim que os consumidores mandem picar a carne no momento.

PUB - Suscreve o nosso canal Youtube e ativa as notificações 👇

Notícias relacionadas