«Sabemos o caminho a seguir para voltar o Boavistão»

Presidente do Boavista revelou, esta segunda-feira, após a apresentação dos novos equipamentos da equipa principal, que está a trabalhar com Luís Campos sobre o futuro do plantel.

No Bessa não morará um clube novo em 2020/21, mas quase. A entrada de Gérard Lopez como acionista maioritário da SAD é certa e provocará mudanças na organização e no funcionamento da estrutura, com o objetivo principal de profissionalizar ao máximo aspetos que os novos dirigentes consideram essenciais para tornar o clube mais forte.

A mudança no comando técnico é certa – a saída de Daniel Ramos foi confirmada pelo próprio -, e o nome de Vasco Seabra, ex-Mafra, ganha cada vez mais força. “O Vasco Seabra é uma das hipóteses, como tantas outras. Se gostamos do Vasco Seabra? Sim. É um jovem treinador com sucesso, mas ainda não há nada de concreto”, explica Vítor Murta, líder axadrezado.

A ideia de Lopez, o novo investidor, é dar uma volta de 180 graus à política desportiva do Boavista, tal como já fez no Lille (França), o que passa também pelo reforço da estrutura.

“Estamos a trabalhar em conjunto com o Luís Campos naquilo que será o futuro do Boavista. Mas os sócios serão ouvidos no momento certo e antes da tomada de qualquer decisão”, confirma Vítor Murta.

Neste sentido, é de esperar que o plantel conheça mudanças significativas.

A revolução incluirá uma pele nova, confirmada que está a parceria com a “Kelme”, a marca desportiva que vestirá o Boavista nos próximos quatro anos. O equipamento lembra o 20.º aniversário da conquista do título de campeão. “Sabemos o caminho a seguir para voltar o Boavistão”, salientou Vítor Murta.

Artigo assinado por Vasco Samouco in Jornal de Notícias

PUB - Suscreve o nosso canal Youtube e ativa as notificações 👇

Notícias relacionadas

Leave a Comment