Escolas pedem auxílio para dispersar concentrações de alunos

PSP admite ter sido chamada para ajudar na dispersão de ajuntamentos em frente às escolas durante o arranque do novo ano letivo.

Segundo o Jornal de Notícias: as regras de segurança são obrigatórias dentro das escolas, respeitando a utilização de máscara e o distanciamento social, mas do lado de fora do recinto, as regras não se aplicam.

Em seguimento do último dia de arranque do ano letivo, são vários os grupos de pais e de alunos que se concentram à frente dos portões das escolas sem respeitarem as regras de contingência e de distanciamento.

As equipas do programa Escola Segura já estão a trabalhar em ações de sensibilização direcionadas aos encarregados de educação, enquanto os professores se dedicam a alertar os alunos sobre as novas medidas.

Estas ações podem ser realizadas várias vezes durante a semana, de maneira a diminuir o número de participantes por sessão, pedindo sempre o bom senso por parte das famílias e dos alunos, não só nas escolas, como nos percursos para casa.

Um dos vários exemplos por todo o país aconteceu ontem na Escola Básica do Bom Sucesso, onde se deu uma grande aglomeração de alunos e pais à frente dos portões, devido ao início das aulas. Muitos dos pais culpabilizam a direção da escola por encurtar o horário de receção e por marcar todas as turmas para a mesma hora.

Em resposta a estas acusações, a coordenadora da escola Ângela Maria Bastardo, garante que todos os pais foram informados previamente sobre as novas regras e acrescenta: ” A direção reuniu com os pais dos alunos do 1º ano, os que vão entrar pela primeira vez, e nos restantes anos a receção foi feita pelos professores. Os pais foram avisados para estarem às 9 horas. Não temos culpa de terem chegado mais cedo e ficado no exterior a conversar. Não podemos abrir os portões mais cedo.”

Fonte: Jornal de Notícias

PUB - Suscreve o nosso canal Youtube e ativa as notificações 👇

Notícias relacionadas