Pelas tuas mãos medi o mundo (Dia Nacional da Língua Gestual Portuguesa)

No passado dia 15 de novembro, o Núcleo de Estudantes de Português (NEP-UP), em parceria com a Rádio Portuense, organizou o evento “Pelas tuas mãos medi o mundo” que tinha como objetivo celebrar o Dia Nacional da Língua Gestual Portuguesa (LGP). Teve como convidadas a Professora Doutora Susana Barbosa, professora adjunta e investigadora do InEd – Centro de Investigação e Inovação em Educação na Escola Superior de Educação do Politécnico do Porto e cofundadora da Associação de Tradutores e Intérpretes de Língua Gestual Portuguesa (ATILGP), cuja Direção preside desde abril de 2016 e a estudante Inês Tavares, falante nativa de LGP e estudante de Psicologia da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto. A conversa foi interpretada pela Filipa Carvalho, intérprete da ATILGP. 

Durante cerca de uma hora de conversa, foram colocadas em várias perspetivas questões como a utilização das máscaras para os falantes da LGP, a presença de um intérprete em programas de televisão num quadrado muito reduzido no ecrã e alguns mitos que ainda prevalecem relativamente aos falantes desta língua e ao conhecimento de línguas gestuais. Alguns destes aspetos constituem um leque de temas essenciais à compreensão da natureza de uma língua que é transmitida através de gestos manuais e não-manuais, sendo que é compreensível apenas a nível visual. 

Com esta conversa, ficamos a perceber que a realidade em que vive a comunidade ouvinte parece ser uma realidade paralela àquela em que vive a comunidade surda, uma vez que o acesso a diferentes serviços, áreas ou bens é totalmente limitado a esta última. 

A LGP foi reconhecida como língua oficial de Portugal em 1997. É uma língua falada por uma comunidade que se vê privada de um sentido biológico e, por essa razão, a comunidade ouvinte pode e deve aprender esta língua, a única que possibilita o diálogo com a comunidade surda. 

Notícias relacionadas