Rua das Flores – História

Rua das Flores – História Rua das Flores foi mandada abrir em 1518 pelo rei D. Manuel I, para fazer a ligação directa entre o Largo de S. Domingos e a Porta de Carros (uma porta da muralha fernandina que ficava sensivelmente no topo da actual Praça de Almeida Garrett, em frente da igreja dos Congregados). Inicialmente chamou-se Rua de Santa Catarina das Flores, nome que lhe terá vindo das muitas hortas e vergéis que ali existiram noutros tempos, e foi aberta em terrenos quase todos ocupados pelas denominadas hortas…

Ler mais

Passeio das Virtudes – História

O Passeio das Virtudes   História O Parque Municipal das Virtudes foi desenhado por José Marques Loureiro (1830-1898), um famoso horticultor, no estreito vale do Rio Frio, que descia até à praia de Miragaia. Loureiro transformou a Quinta das Virtudes num centro de produção de plantas. A residência havia sido construída no século XVIII e os jardins desciam então em socalcos até ao bairro de Miragaia. As estufas que instalou no jardim, onde aclimatou plantas exóticas, sobretudo grandes flores, chamaram na época a admiração de todos, e as suas exposições…

Ler mais

Praça da República – História

Praça da República João de Almada e Melo, na segunda metade do século XVIII, estabeleceu a abertura de uma praça ampla no antigo Campo de Santo Ovídio. Pouco depois, terá sido edificado o quartel militar de Santo Ovídio. Na Praça da República tiveram lugar diversos acontecimentos político-militares, especialmente em 1820, onde decorreu a concentração das tropas liberais. Em 1891, foi a vez das tropas republicanas, na revolta de 31 de janeiro. Em virtude disto, em 1910, a praça recebeu o nome que conserva até à atualidade. Em 1790, terá sido mandado…

Ler mais

História – A Praça da Batalha

Praça da Batalha           Junto da Capela de Nossa Senhora da Batalha, no ângulo sudoeste da praça atual, ficava localizada a Porta do Cimo de Vila da Muralha Fernandina. A muralha foi demolida no século XVIII, tendo a zona sofrido transformações. Na parte oriental da praça, observa-se um palacete brasonado que terá sido mandado construir, no fim do século XVIII, por José Anastácio da Fonseca, cavaleiro da Casa Real. Aquando do cerco do Porto, os proprietários da facção de D. Miguel abandonaram o palacete. Na sequência…

Ler mais

História – Jardim da Cordoaria

Jardim da Cordoaria Mais conhecido por Jardim da Cordoaria, este jardim é denominado de Jardim João Chagas desde 1924. O nome por que é mais conhecido, deve-o à actividade dos cordoeiros que estiveram instalados neste lugar – na cordoaria nova – durante cerca de 200 anos. Com efeito, na Idade Média neste lugar situava-se o Campo do Olival que albergou a Cordoaria do Bispo. O Campo era formado por uma vasta área de oliveiras que se estendiam até ao Carregal, Carmo e Praça Carlos Alberto. No século XVII começou a…

Ler mais

Ponte Maria Pia

A PONTE MARIA PIA “As profundas alterações provocadas pela Revolução Industrial atingiram também a arquitectura. A influência da técnica associada à utilização de novos materiais, nomeadamente, o ferro, o aço e outros, acabaram por impor novas soluções arquitectónicas mais ajustadas às características da civilização industrial. No final do século XIX assistiu-se ao triunfo da arquitectura do ferro. A estrutura metálica revolucionou este tipo de arte, envolvendo novas e mais belas formas nos monumentos em que foi aplicada, entre os quais as pontes sobre o Douro. O Porto é, na Europa,…

Ler mais

O Castelo do Queijo

O Castelo do Queijo ou Castelo de São Francisco Xavier, construído no século XV, é uma pequena fortificação defensiva, situada na Praça Gonçalves Zarco. Desde tempos imemoriais que se diz que o enorme rochedo onde o castelo foi construído era um lugar sagrado para os Draganes, tribo Céltica que veio para a Península Ibérica seis séculos antes de Cristo. Composto por delineamento angular, amplas plataformas de tiro, grossíssimas paredes, ausência de torres, com fossos para a terra firme, uma imponente porta levadiça, etc. todo este conjunto arquitectónico faz deste castelo…

Ler mais

A arca de Mijavelhas – História

O Poço ou Arca de Água de Mijavelhas é um reservatório de água construído no século XVI, situado no então Campo de Mijavelhas, actual Campo 24 de Agosto, na cidade do Porto, em Portugal. A arca de água de Mijavelhas servia para proporcionar o abastecimento de água à cidade, captando mananciais de água para levar às fontes e chafarizes da cidade, onde os águadeiros se abasteciam. Até Março de 1882, quando foi assinado o contrato para abastecimento ao domicilio entre a Câmara e a Compagnie Général des Eaux pour l’Etranger, os portuenses que não possuíssem poços tinham que se abastecer nas fontes. Estas fontes eram abastecidas por cursos de água como o manancial do Campo Grande. Uma…

Ler mais

Campo 24 de Agosto – a origem

CAMPO 24 DE AGOSTO O antigamente denominado Campo Grande, é o atual Campo 24 de Agosto.   Este concorrido local do Porto teve várias denominações ao longo dos tempos. Tinha, na Idade Média, a pitoresca denominação de Campo de MijaVelhas; depois deram-lhe o nome de Poço das Patas, o que até se compreende se tivermos em conta as características alagadiças do terreno onde se formavam enormes poças que aquelas aves frequentavam com assiduídade. Por 1833, era o Campo da Feira do Gado, porque ali se realizava uma conhecido mercado dedicado…

Ler mais

Fixadas as portagens na ponte D. Luis I no Porto

Sábado, 12 de Julho de 1913 Fixadas as portagens na ponte D. Luis I no Porto Sabias que a 12 de Julho de 1913 São fixadas as portagens na ponte D. Luís I, entre o Porto e Vila Nova de Gaia. A construção da ponte, da autoria do engenheiro francês Teófilo Seyrig (1843-1923) iniciara-se em 1881 e fora solenemente inaugurada em 31 de Outubro de 1886. François Gustave Théophile Seyrig associara-se em 1869 com Gustavo Eiffel fundando a casa Eiffel et Cie., que vence o concurso para a construção da…

Ler mais