Porto quer ajudar os sem-abrigo

A Câmara Municipal do Porto quer aumentar a capacidade de resposta às pessoas sem-abrigo. Uma das propostas é abrir mais restaurantes para criar condições dignas na hora das refeições.

De acordo com o jornal Sol, as respostas de ajuda aos sem-abrigo costuma demorar a ficar operacional, apesar de em 2018 ter sido feito estratégias, através do Núcleo de Planeamento e Intervenção Sem-Abrigo do Porto.

A autarquia apresentou 10 alicerces para ajudar e tornar eficaz, e o seu principal objetivo é fortalecer o número de vagas na Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados de Saúde Mental e aumentar o número de pessoas que integram as Equipas Técnicas de Rua (identificam novos casos e tentam arranjar soluções).

Até 2021 há também o objetivo de aumentar o número de pessoas do Centro de Acolhimento Temporário Joaquim Urbano. E ainda criar novos restaurantes para criar condições nas horas das refeições aos sem-abrigo. Um restaurante será na zona da Baixa e outro na zona da Boavista, para que a cobertura da área seja maior.

Outras propostas feitas pelo Município do Porto é aumentar o número de vagas em alojamentos de longa duração e de housing first (consiste em dar uma casa para a pessoa começar a sua vida).

Segundo as estatísticas da Câmara Municipal existem 420 sem-abrigo em centros de alojamento e 150 a viver na rua.

Foto: Manuel Roberto/Público

PUB - Suscreve o nosso canal Youtube e ativa as notificações 👇

Notícias relacionadas