Porto: nova etapa do desconfinamento

Há mais de 20 dias que o Porto não apresenta novos casos de Covid-19, por isso passa para uma nova fase do desconfinamento.

Segundo o Portal de Notícias do Porto, foi ontem anunciada uma nova fase para o Porto. O nível de alerta da região diminui, ao contrário de Lisboa que começou a sofrer restrições de confinamento social. O governo decretou ainda a proibição de consumo de bebidas alcoólicas na via pública e o pagamento de multas para quem desrespeitar a regra ou provocar ajuntamentos.

Para esclarecer todas as dúvidas levantadas nos últimos dias acerca do número de teste de Covid-19 que estavam a ser realizados, a Câmara do Porto divulgou o número de testes por região, para descansar os Portuenses.

O estado baixou do estado de calamidade para o estado de alerta, todas as regiões do país, menos a Área Metropolitana de Lisboa (AML), que nos últimos dias tem apresentado um grande número de casos novos.

O estado de alerta para o Porto e as restantes regiões, tem certas regras:

– Confinamento obrigatório para doentes e pessoas em vigilância activa;

– Mantêm-se regras sobre distanciamento físico, uso de máscara, lotação, horários e higienização;

– Ajuntamentos limitados a 20 pessoas;

– Proibição de consumo de álcool na via pública;

Subscreve o nosso canal

– Contra-ordenações: 100 a 500 euros (pessoas singulares); 1000 a 5000 euros (pessoas colectivas).

Já a AML tem as seguintes medidas a seguir:

– Encerramento de estabelecimentos comerciais às 20h, excepto: restauração para serviço de refeições e take-away; super e hipermercados (até às 22h); abastecimento de combustíveis; clínicas, consultórios e veterinários; farmácias; funerárias; equipamentos desportivos;

– Proibição de venda de álcool nas estações de serviços;

– Ajuntamentos limitados a dez pessoas, com excepção dos eventos de natureza cultural.

Para as 19 freguesias da AML mais afetadas há outras medidas, ainda mais restritas:

– Dever cívico de recolhimento domiciliário;

– Proibidas feiras e mercados de levante;

– Ajuntamentos limitados a cinco pessoas;

– Reforço da vigilância dos confinamentos obrigatórios por equipas conjuntas da Protecção Civil, Segurança Social e Saúde Comunitária;

– Programa Bairros Saudáveis. É um “instrumento participativo que promove iniciativas de saúde, sociais, económicas, ambientais e urbanísticas junto das comunidades locais mais atingidas pela pandemia, ou por outros factores que afectam as suas condições de saúde e bem-estar”, diz o comunicado do Conselho de Ministros.

Foto: iG Turismo

Notícias relacionadas

Leave a Comment