EM DIRETO: Boavista FC x SC Braga

Acompanha o jogo da 11ª jornada da Liga NOS com a Alma, o Orgulho e o Sotaqe Tripeiro da Voz da Invicta. Podes acompanhar a narração de Carvalho Araújo a partir das 21:00h em radioportuense.com ; no facebook, no youtube e no Twitter

Jesualdo Ferreira quer “avaliar o momento” do Boavista frente ao Braga

Não vamos falar em futuro, mas em momento. Face às análises e observações feitas, tentaremos continuar a fazer algumas coisas e perceber que melhorias devemos ter. Este jogo é importante por isso, sendo que me habituei fora deste clube e agora dentro dele a saber que cada jogo é para ganhar”, apontou o técnico, em conferência de imprensa.

Jesualdo Ferreira prepara a estreia em jogos no Estádio do Bessa, na sequência do empate alcançado no terreno do Paços de Ferreira (1-1), antevendo um oponente “muito forte e equilibrado, que se tem afirmado ao longo dos anos e vai ter ambição de ganhar”.

“Os problemas que nos vai colocar provavelmente serão diferentes dos de Paços, mas interessa-me neste momento a identidade da minha equipa. Procuramos encontrar o nosso rumo, sem nos preocuparmos muito com o adversário. Este Braga vai colocar-nos problemas que, no meu entender, são fundamentais para um futuro próximo”, observou.

Volvidas duas semanas de trabalho, o experiente treinador nota a ambição do plantel ‘axadrezado’ em “criar uma identidade de equipa”, detetando na “rapidez à perda da bola e na redução do tempo de transição” fatores que podem aproximar o clube do sucesso.

“Não posso fugir muito da minha identidade no futebol. Por norma, preparo as minhas equipas para poder competir a um nível elevado e ganhar jogos, seja em que sistema for. São equipas que se identificam comigo na forma de olhar o jogo de frente, perceber os problemas colocados pelo adversário e arranjar soluções para resolvê-los”, analisou.

Desvalorizando projeções quanto ao futuro competitivo do Boavista, Jesualdo Ferreira realça o peso de “encontrar os equilíbrios que uma equipa competitiva tem de ter”, lembrando que “ninguém ataca bem se não tiver capacidade para defender bem”.

“Uma equipa que não seja equilibrada pode ganhar alguns jogos, mas dificilmente conseguirá vencer uma competição. Quanto mais equilibrada estiver, menos possibilidades terá de sofrer e mais possibilidade de recuperar a bola rapidamente e de marcar. A forma de encontrar esses equilíbrios é que pode variar”, vincou.

O reencontro com o Sporting de Braga, que orientou entre 2003 e 2006 e em 2013/14, antecede a reabertura do mercado de transferências, embora o ‘professor’, como é conhecido no futebol luso, prefira investir esforços na potencialização do plantel atual.

“Não estou a pensar em nada nem venho falar de situações internas. Temos de saber a filosofia do clube e o que se pretende para a segunda volta. Faltam 24 jogos, pouco mais de cinco meses e o Boavista tem apenas uma competição apenas para participar. É pouco, mas é a realidade. Mercado? O ‘se se se’ não resolve problemas”, concluiu.

O Boavista, na 15.º posição, com nove pontos, recebe o Sporting de Braga, quarto colocado, com 21, na segunda-feira, às 21:00, no Estádio do Bessa, no Porto, num jogo da 11.ª jornada da I Liga, com arbitragem de André Narciso, da associação de Lisboa.

Notícias relacionadas