Sérgio Oliveira: “A palavra desistir não entra no nosso balneário “

Em entrevista publicada, esta quinta-feira, na revista Dragões, Sérgio Oliveira abordou vários temas que marcam a sua carreira e a atualidade do FC Porto. Pode ler aqui alguns excertos da entrevista do médio dos dragões.

«Já vivi alguma conquistas, mas que venham muitas mais. Trabalho para conquistar títulos, ganhar jogos e dar muitas alegrias aos nossos adeptos […] Esta é a minha melhor época. No entanto, tenho-a vivido com alguma revolta, porque o campeonato estava a correr bem, mas tivemos recentemente um percalço. Estamos focados para, no final da temporada, festejarmos o título, é para isso que cá estamos e é por isso que competimos. Esta época só será positiva para mim, se for uma temporada positiva para o clube.»

Sérgio Oliveira explica que a “maturidade” foi decisiva para o grande momento que atravessa “Acho que este salto se deve à minha maturidade. Sei pisar melhor o terreno e já levo cinco anos a trabalhar com o míster. Sei perfeitamente o que ele quer, ou seja, comportamentos táticos, físicos e o dia a dia. É uma pessoa exigente e ao longo dos anos também fui evoluindo nesse sentido. Acho que nos conhecemos perfeitamente e estamos em sintonia completa. Eu tento dar sempre o meu máximo, todos os dias e em todos os jogos, sempre com responsabilidade. Acho que foi isso que me fez chegar a este nível”, vincou.

Apesar do pé quente que tem exibido, Sérgio Oliveira afirma que até devia rematar mais vezes durante os jogos. “O facto de ter assumido as grandes penalidades tem uma força grande, os números estão mais altos devido a isso. É preciso marcá-las, é certo, mas é das melhores possibilidades para se fazer um golo. Aprendi a chegar cada vez mais à área e, apesar de rematar bem, acho que podia rematar ainda mais durante o jogo. É sempre uma motivação extra marcar, quando fazes o primeiro queres logo marcar o segundo. Quando ganhas, queres ganhar. Quando perdes, queres ganhar, porque nunca se quer perder aqui. Se puder marcar golos e ajudar a equipa a vencer, espetacular”, disse, classificando os golos como um “extra”.

“Em todos os clubes que representei, o meu foco sempre foi ganhar, mas aqui ainda mais. Pela mística que se vive, uma semana de trabalho só faz sentido se ganharmos. Esta época também já conta com uma conquista, a da Supertaça, para a qual contribuiu com um golo, uma vitória que carimbou o triplete no ano civil de 2020”, finalizou.

Fonte: Abola

Notícias relacionadas