Ecocentros móveis nas ruas do Porto

Os ecocentros móveis aparecem com o objetivo de recolher resíduos urbanos perigosos, que não podem ser descartados nos ecopontos habituais, como restos de tintas e solventes, rolhas de cortiça e CD’s/DVD’s.

Com uma iniciativa do Município do Porto e da Lipor, estes novos contentores móveis estão disponíveis nos ecocentros das Antas e da Prelada.

A Porto Ambiente, empresa municipal responsável pela recolha de resíduos e limpeza da cidade do Porto, com o objetivo de oferecer uma cidade mais limpa a todos, pode assim, em linha com as políticas de sustentabilidade ambiental do Município, garantir o tratamento de mais quatro tipologias de resíduos urbanos produzidos na cidade.

Estes ecocentros móveis foram obtidos na extensão do programa POSEUR (Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos), no qual se torna também possível receber lâmpadas (tubulares e normais), tinteiros/toners, pilhas e acumuladores portáteis. Poderão ser ainda recolhidos Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos (REEE), que incluem ferros de engomar, máquinas de barbear elétricas, balanças, relógios, entre muitos outros. Referir a esta lista.

Imagem: Filipa Brito/Porto.

A Lipor, segundo o ‘Porto.’ tem como objetivo “recolher resíduos domésticos perigosos e outros valorizáveis”, sendo que para este fim, “a dinâmica deste projeto consiste na permanência, durante um determinado período de tempo, do equipamento em diferentes zonas, permitindo, dessa forma, abranger o máximo de população”.

Em 2020, a Lipor recebeu mais de 60 mil toneladas de materiais para reciclagem e 40 mil toneladas de bio resíduos recolhidos seletivamente. Com isto, o Município comprovou um decréscimo na produção global do lixo, onde a população do Grande Porto produz menos lixo e recicla mais.

O projeto do Porto Ambiente, já conseguiu comprovar um aumento de 50% dos níveis de reciclagem entre 2016 e 2019, sendo que agora o objetivo é arrancar com a instalação de cerca de 500 contentores para a recolha de resíduos orgânicos, abrangendo mais de 60% da população do município.

E é assim, com estas medidas e iniciativas, que o Município do porto dá mais um passo em frente, em rumo de alcançarmos os objetivos da sustentabilidade ambiental.

FONTE: Porto.

Notícias relacionadas