17 anos e meio de prisão para homem que matou mulher em Gaia

Um homem, de 62 anos, foi condenado esta manhã no Tribunal de Vila Nova de Gaia, a 17 anos e seis meses de prisão pelo homicídio da sua ex-companheira, de 42 anos.

Ao ler o acórdão, a presidente do coletivo de juízes sublinhou a circunstância de o arguido não ter mostrado arrependimento pela prática do crime que foi cometido a manhã de 27 de outubro de 2020, numa rua da freguesia de Grijó, em Vila Nova de Gaia.

Terá também de pagar 50 mil euros a cada uma das duas filhas da vítima.

Apesar de confessar a autoria dos disparos, o condenado argumentou que o seu objetivo não era o homicídio da mulher, mas apenas assustá-la.

O homem, guiando um veículo de média gama, perseguiu a ex-mulher, que conduzia um automóvel utilitário.

Ultrapassou-a e bloqueou a estrada, obrigando a parar, para, de seguida, a atingir no ombro esquerdo com um primeiro disparo de arma caçadeira.

“Não satisfeito”, relatou o Ministério Público (MP), fez um segundo disparo, que lhe provocou lesões em várias partes do corpo e que “determinaram a respetiva morte violenta no local”.

Num terceiro disparo, tentou o suicídio.

O casal, ele de 62 anos e ela 20 anos mais nova, manteve uma união de facto entre 2006 até meados de outubro de 2020, numa relação marcada, a partir de 2008, por diversos atos de violência doméstica.

Notícias relacionadas