Encerramento da Rua dos Clérigos: confere as alterações aos percursos da STCP

Os percursos dos autocarros da STCP que circulam na Rua dos Clérigos, no Porto, vão sofrer alterações a partir deSTA quarta-feira, devido ao encerramento desta via para execução das obras de expansão da rede de metro na cidade.

A Rua dos Clérigos ficará interdita ao trânsito a partir de quarta-feira e por um período de cerca de 13 meses devido às obras da Linha Rosa do Metro do Porto.

Em comunicado divulgado, a STCP – Sociedade de Transportes Coletivos do Porto explica que, de forma a garantir o serviço de transporte público entre as zonas da Cordoaria e dos Aliados, a câmara do Porto vai implementar alterações de trânsito, como a circulação nos dois sentidos na Praça de Guilherme Gomes Fernandes.

A inversão de sentido de trânsito na Rua de Ceuta e na Praça de D. Filipa de Lencastre, exceto transporte público, que terá corredor dedicado no sentido ascendente, assim como a inversão de sentido de trânsito na Rua do Almada, entre a Praça de D. Filipa de Lencastre e a Rua de Ramalho Ortigão, são outras das alterações introduzidas, assim como a inversão de sentido de trânsito na Rua de Ramalho Ortigão.

“Com esta nova de solução de mobilidade, a câmara do Porto pretende que o transporte público seja a alternativa mais sustentável para os cidadãos que se deslocam para a baixa do Porto (Aliados). Nesse sentido, serão alterados os percursos de algumas linhas da STCP, bem como serão criadas novas paragens provisórias, em substituição da anterior oferta (Rua dos Clérigos)”, refere a STCP.

Como consequência, as linhas 200, 201, 208, 501 e 703, que seguem percurso para a Trindade, terão novas paragens na Rua de Ceuta (sentido descendente) e na Rua Ramalho Ortigão.

As linhas 301, 305 e 801, que têm como destino a parte oriental (R. Formosa), terão paragens na Rua de Ceuta (sentido descendente) e na Rua Guilherme Costa Carvalho (junto ao antigo Palácio dos Correios).

As linhas 207, 303, 12M e 13M, que descem os Aliados, vão ter paragens na Rua de Ceuta (sentido descendente) e na Avenida dos Aliados (código AAL1), passando a ser o término para as linhas 12M e 13M, dado que deixam de ir à Trindade.

Num outro comunicado, a empresa de transportes coletivos do Porto refere que os elétricos na linha 22 vão estar suspensos, a partir de quarta-feira e durante cerca de três anos, devido às obras de alargamento da rede de metro na cidade.

“A STCP incentiva todos os portuenses e turistas a viajarem no elétrico da linha 22, até amanhã [terça-feira], para tirarem partido do fantástico passeio pelas ruas do centro do Porto. A suspensão está associada ao evoluir das obras de alargamento da rede de metro na cidade, nomeadamente, da ligação entre as zonas de S. Bento e Boavista, situação que implica que várias artérias da baixa da cidade sejam encerradas ao trânsito, nomeadamente a Rua dos Clérigos”, lê-se no comunicado.

A STCP diz ainda que o município do Porto “estabeleceu novas vias de circulação para os veículos automóveis, sublinhando que a linha de elétrico que faz o percurso ‘circular Carmo-Batalha’ (Linha 22) terá de ser encerrada até as obras se darem por concluídas”.

Ainda neste comunicado, a STCP refere que vai prolongar a linha do elétrico 18, desde o Museu do Carro Elétrico até ao Passeio Alegre, a partir de sábado (13 de novembro).

“Esta linha deixa de fazer apenas a ligação Carmo-Massarelos e passa a realizar o percurso Carmo-Passeio Alegre, contando com mais oito paragens em cada sentido de circulação (Bicalho, Ponte Arrábida, Encosta da Arrábida, Ouro, Fluvial, D. Leonor, Cantareira e Passeio Alegre). A Linha 18 passará a contar com uma oferta de 30 em 30 minutos”, adianta a STCP.

Notícias relacionadas