Distribuidor vendia panfletos publicitários em vez de entregá-los nas caixas de correio

A burla ocorreu durante um ano e meio no Grande Porto

A GNR do Porto, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Matosinhos, constituiu arguido, por burla, um homem de 50 anos, distribuidor de correspondência publicitária, em Vila Nova de Gaia.

Após uma investigação que durou 18 meses e que culminou no passado dia 14 de março, a GNR apurou que o suspeito “funcionário de uma empresa de distribuição de correspondência publicitária, estava encarregue de distribuir correspondência não endereçada, e que, ao não cumprir com as respetivas distribuições nem com as devoluções das publicidades sobrantes, armazenava todos os folhetos publicitários num armazém, no concelho de Vila Nova de Gaia, procedendo posteriormente à venda a grosso do papel.”

Nas buscas realizadas num armazém, foram apreendidos 1500 quilos de correspondência publicitária e um veículo que era utilizado no ilícito criminal.

O suspeito foi constituído arguido, e os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial da Maia.

Notícias relacionadas