Pescadores protestam contra o preço dos combustíveis em Espinho.

Os pescadores manifestaram-se, esta sexta-feira, contra o aumento do preço dos combustíveis. “Queremos gasolina = gasóleo”, pescadores reclamam mais apoio para o setor em Espinho.

O Governo estabeleceu apoios só para as embarcações a gasóleo e não para os barcos movidos a gasolina. O protesto tem como propósito reivindicar igualdade na atribuição de apoios. Nuno Teixeira, do sindicato das pescas, diz que o objetivo é fazer com que a voz dos pescadores chegue mais longe.

No final do ano passado, o litro de gasóleo para as embarcações custava 69 cêntimos, com aumentos consecutivos está agora perto de 1,20 euros. Em relação à gasolina, o cenário piora porque os pescadores têm de a pagar ao mesmo preço que todos os consumidores, a mais de 2 euros por litro.É de realçar que em Espinho, todos os barcos de pesca artesanal têm motores a gasolina.

A nível nacional, são perto de 2000 embarcações nesta situação. Os pescadores pedem mais apoios ao Governo e redução do preço da gasolina como já acontece com o gasóleo. Os custos com combustíveis, no setor da pesca, estão 40% mais caros do que no pior mês de 2021.

Notícias relacionadas