Aeroporto Francisco Sá Carneiro chega a ser policiado por apenas 3 agentes

Divisão de Segurança Aeroportuária da PSP do Porto desfalcada com reforço do contingente do SEF. Polícias espanhóis em viagem ajudaram a controlar passageiro.

Está instalado o caos no policiamento do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, na Maia. Numa “depauperada” Divisão de Segurança Aeroportuária do Porto, o desvio de agentes para reforçar o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras levou a que “já tenha havido turnos em que o policiamento em todo o aeroporto foi assegurado por três ou quatro agentes”, declarou o presidente da Associação Sindical dos Profissionais de Polícia (ASPP/PSP), Paulo Santos.

Um polícia que presta serviço no aeroporto – onde têm passado, este verão, cerca de 70 mil passageiros por dia – ilustra o cenário de escassez de meios com um episódio registado há cerca de dois meses, que obrigou dois colegas seus a receber tratamento hospitalar e que os mantém de baixa médica. “Foi ridículo. Um passageiro estava exaltado e, ao lado, encontravam-se alguns polícias espanhóis, de regresso ao seu país, que o acalmaram. Quando a PSP chegou, já os colegas espanhóis tinham partido e houve dificuldade em dominar o passageiro. A situação teria sido controlada em dois ou três minutos com uma equipa de intervenção rápida, mas não havia elementos para a formar”, conta o agente.

Notícias relacionadas