Maia avança com projeto para apoiar cuidadores informais

O Município da Maia avança, no próximo ano, com um projeto de apoio integrado aos cuidadores informais e às pessoas cuidadas. O objetivo, num trabalho em rede com várias instituições, é o de garantir uma ajuda de proximidade, que responda às necessidades reais da população.

O projeto Maia CUIDA+ resulta do trabalho realizado pelos Gabinetes de Apoio Integrado Local, através do qual foi possível perceber que há pessoas a cuidarem dos seus familiares sem qualquer apoio. “Decidimos que o Município tinha que investir no desenvolvimento de uma resposta abrangente, sólida e sustentada”, assume a Autarquia. O financiamento virá do Plano de Recuperação e Resiliência.

O programa destina-se “aos cuidadores informais e às pessoas cuidadas, sendo que vamos procurar responder a casos envolvendo as necessidades das pessoas mais velhas, de pessoas com problemas de saúde mental e demência e de crianças e adultos com deficiência”.

Melhorar o acesso à saúde ao cuidador informal e à pessoa cuidada; realizar um diagnóstico a fim de perceber as condições e as necessidades do quotidiano; favorecer a permanência da pessoa cuidada no seu meio natural de vida; garantir uma prestação de cuidados de qualidade e humanizada; desenvolver programas de envelhecimento ativo e saudável; e promover a saúde e a qualidade de vida da comunidade, são os objetivos listados.

O ACES/Maia Valongo, o Centro Hospitalar e Universitário São João, as juntas de freguesia, instituições sociais do concelho e a Associação Nacional de Cuidadores são entidades a envolver no projeto. “Estamos também a trabalhar no sentido de termos uma instituição do ensino superior envolvida neste projeto para desenvolver investigação científica nesta matéria”, acrescenta a Câmara da Maia.

Uma pessoa que vive na Maia, tem ao seu cuidado um familiar e precisa de apoio. No site da Câmara haverá uma área específica para estabelecer contacto e uma equipa multidisciplinar (psicólogo/a, nutricionista, técnica de serviço social, enfermeiro/a) desloca-se a casa da pessoa em causa, para fazer uma avaliação da situação. Consoante esse diagnóstico, são proporcionadas as respostas adequadas.

Notícias relacionadas