FC Porto arrasa IPDJ e fala em “justiça à la Ricardo Costa”

Por decisão do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), Fernando Madureira, líder da claque Super Dragões, esteve interdito de frequentar recintos desportivos e foi ainda multado em 2.600 euros devido ao polémico caso do cântico da Chapecoense.

Contudo, na segunda-feira, foi absolvido pelo Tribunal de Pequena Instância do Porto, por não existirem provas de que o líder da claque entoou tal cântico.

Esta terça-feira, o FC Porto reagiu ao sucedido através da sua newsletter Dragões Diário, apontando o dedo ao comportamento dúbio do IPDJ com o emblema azul e branco e à ineficácia do organismo  em alguns casos concretos.

“A decisão que ontem foi conhecida mancha irremediavelmente a imagem e a credibilidade do IPDJ (e da sua direção, pois claro), que castigou Fernando Madureira sumariamente, sem provas e sem lhe dar a oportunidade de se defender. Entretanto, noutros campos, grupos ilegais de adeptos de outro clube cantam coisas pornográficas – ‘o very-light é que o f****’(numa alusão triste a um adepto assassinado), ‘deixa-a morrer’ (dirigindo-se a uma atleta adversária gravemente lesionada) –, mas o IPDJ nunca os ouve, nunca os censura, nunca os castiga. É mesmo esse um dos princípios básicos da justiça ‘à la Ricardo Costa’: não toca a todos”, pode ler-se.

Segue-nos e partilha:

Notícias relacionadas