Polícia Judiciária do Porto trava chefe de gang que fugia para o Brasil

A Polícia Judiciária do Porto voltou a deter o cabecilha de um gang de assaltantes, apanhado no aeroporto de Barajas, em Madrid, quando embarcava para o Brasil, sua terra natal. O suspeito tinha aproveitado o facto de ter ficado em prisão domiciliária para fugir. Novamente conduzido a tribunal, foi, desta vez, encaminhado para a cadeia.

Tudo começou no passado mês de julho, quando a PJ desmantelou um grupo – sete portugueses e um brasileiro – responsável por assaltos a carrinhas de valores que carregavam caixas ATM em diversos concelhos do Norte.

Depois, o mesmo gang – que incluiria também ‘Zé Gordo’, histórico cadastrado que integrava o gang dos Ferreiras – passou a furtar viaturas de luxo, que vendia para África, após passagem por uma oficina de Espanha. Rodrigo, natural de Curitiba, de 36 anos, e já com currículo criminal em Portugal, ficou em domiciliária.

Em poucos dias, porém, fugiu. Preparava-se para embarcar para o Brasil quando, em cumprimento de mandado europeu, foi travado pelas autoridades espanholas e encaminhado para Portugal.

A PJ concretizou a detenção. Indiciado por associação criminosa, tráfico de droga, roubo e furto de veículos, voltou a ser levado a tribunal e, agora, ficou mesmo em prisão preventiva, sendo levado para a cadeia.

Os ataques do grupo criminoso passaram em locais como Rio Tinto, Gondomar, Felgueiras, Lousada, Fafe e Gulpilhares, em Vila Nova de Gaia.

artigo CM

Notícias relacionadas