Estudo com crianças no IPO do Porto vence Prémio Rui Osório de Castro

Um estudo sobre inflamações no interior da boca, em consequência de radio ou quimioterapia, em crianças com doença oncológica, realizado no IPO do Porto, é o vencedor da 4ª edição do Prémio Rui Osório de Castro/Millennium bcp. O prémio de 15.000 euros vai ser entregue no 6º Seminário de Oncologia Pediátrica, a 8 de Fevereiro, na Fundação Calouste Gulbenkian.

Cerca de 90% das crianças com doença oncológica, que participaram num estudo no IPO do Porto, revelaram desconforto na cavidade oral – boca ou garganta – com queixas específicas de mucosite, uma inflamação causada pelos efeitos da radio ou quimioterapia. Os resultados são da investigação vencedora da 4ª edição do Prémio Rui Osório de Castro/Millennium bcp, que vai ser entregue a 8 de Fevereiro, durante o 6º Seminário de Oncologia Pediátrica, na Fundação Calouste Gulbenkian.

Perceber Para Prevenir A Mucosite Oral Em Crianças Com Doença Oncológica”, liderada por Patrícia Nunes Correia, médica dentista odontopediatra, professora auxiliar da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade Católica Portuguesa e colaboradora do Centro de Investigação Interdisciplinar em Saúde (CIIS), vai receber 15.000 euros. A quantia vai permitir a continuidade do projeto, que pretende compreender a relação entre variações nos genes e a mucosite oral dos pacientes.

O júri atribuiu ainda duas menções honrosas aos projetos “Crescimento Pós-Traumático Em Jovens Sobreviventes De Cancro E Suas Famílias”, de Margarida Custódio dos Santos, da Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa e da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa, e “Terapia Dirigida Para Neuroblastoma Com Exossomas E Rna De Interferência”,de Sónia Guedes de Melo, do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (IPATIMUP).

O cancro é a primeira causa de morte não acidental na população infanto-juvenil, pelo que a investigação é fundamental. Segundo Cristina Potier, diretora da Fundação Rui Osório de Castro, “este prémio tem sido uma peça fundamental para contribuir com recursos para o desenvolvimento e manutenção de projetos capazes de incentivar e promover a melhoria dos cuidados prestados às crianças com doença oncológica”.

A importância dos avanços neste domínio também levou a Fundação Millennium bcp, que tem na Ciência e Conhecimento uma das suas principais áreas de atuação, a apoiar este prémio desde a primeira hora. O objetivo é “contribuir para o caminho de melhoria da qualidade de vida das crianças diagnosticadas com cancro e respetiva cura”, sublinha Fátima DiasAdministradora da Fundação.

Ainda durante o 6º Seminário de Oncologia Pediátrica vão ser conhecidos os mais recentes resultados da investigação vencedora em 2019, o projeto Interleucina 6 (IL-6) e interleucina 8 (IL-8) como preditores de infeção bacteriana em doentes oncológicos pediátricos com neutropenia febril”, de Ana Catarina Cordeiro, Interna de Pediatria no Hospital Pediátrico de Coimbra.

A participação no 6º Seminário de Oncologia Pediátrica é gratuita, mas a inscrição é obrigatória.
Inscreva-se  aqui .

Notícias relacionadas