PORTO: Apartamentos turísticos vão nascer na ruína ao lado de São Bento

Projecto do atelier Pedra Líquida propõe fachada com obra de Vhils, que ainda está a ser avaliada.

A fachada em ruínas que pontua o cruzamento entre a Rua do Loureiro e a Avenida da Ponte, junto à estação de São Bento, no Porto, vai dar lugar a um edifício de habitação colectiva, com a assinatura do atelier Pedra Líquida. O projecto coordenado pelo arquitecto Nuno Grande poderá incluir uma intervenção do artista urbano Vhils, numa parede cega voltada para a avenida, a mais próxima da gare ferroviária.

Há anos que a ruína, uma espécie de não-lugar numa zona reabilitada pela abertura da Avenida da Ponte e a construção da Linha Amarela do metro, aguarda uma intervenção. Houve várias ideias para o local, mas só agora avança a reabilitação deste espaço encostado à escarpa sobre a qual se desenvolve o casario com frentes para a Rua do Loureiro e a travessa homónima.

O projecto já aprovado, e que foi esta segunda-feira divulgado pelo banco BPI, que financia esta obra com dois milhões de euros, parte deles do IFRRU, um instrumento financeiro para a reabilitação urbana, tem a assinatura do atelier portuense Pedra Líquida. Prevê a edificação de um prédio com uma frente estreita para a rua do Loureiro e uma nova fachada para a Avenida da Ponte, com 16 apartamentos turísticos.

Há pouca informação ainda sobre a intervenção, que inclui uma eventual participação de Vhils, que terá de ser aprovada pela Direcção-Geral do Património Cultural, dada a proximidade a um imóvel de Interesse Público, a estação, e a sua inclusão na área classificada pela Unesco como património da Humanidade. A simulação tridimensional divulgada à imprensa mostra um edifício sem varandas, que tenta diluir-se, nas linhas simples e nas cores escolhidas, na escarpa granítica.

Esta segunda-feira foi também divulgado por dois jornais que a EDP vendeu a um investidor indiano o Palacete Bijou, situado no Batalha, no cruzamento da Rua do Duque de Loulé com a Rua Alexandre Herculano. Segundo o Eco e o Dinheiro Vivo, a eléctrica portuguesa conseguiu seis milhões de euros por um imóvel que chegou a estar à venda por cinco milhões.Trata-se de uma propriedade com cinco mil metros quadrados de área construída acima do solo, distribuídos por três edifícios contíguos, e que poderá ser usado para habitação ou para hotelaria. O palacete está situado numa zona central, a centenas de metros de São Bento e perto, também da ponte do Infante.

 

artigo fonte: https://www.publico.pt/2018/03/05/local/noticia/ruina-ao-lado-da-estacao-de-sao-bento-da-lugar-a-apartamentos-turisticos-1805475

Notícias relacionadas