COVID-19: Porto sem casos positivo nos últimos 12 dias

Os relatórios da DGS informaram que nos últimos 12 dias não ocorreu no Porto qualquer caso positivo de COVID-19. Apesar disso, os rastreios nunca pararam e, só nos primeiros 15 dias de junho, foram realizados a cidadãos do Porto mais de 1.200 testes.

Esta informação, prestada ao Porto.pt pela ARS Norte, demonstra que a não ocorrência de casos não resulta de uma sub-testagem ou notificação, mas significa que, efetivamente, as autoridades de saúde, hospitais, instituições, autarquia e sobretudo os cidadãos do Porto, conseguiram, para já, dominar a epidemia, através de medidas ativas de combate e prevenção que resultaram.

A cidade, que foi a primeira a registar um caso positivo em Portugal e que, numa primeira fase, sofreu com a entrada do vírus no país, devido provavelmente à realização de uma feira de calçado no Norte de Itália, foi também a primeira a tomar medidas, ainda antes do decreto do estado de emergência. Depois de 12 dias sem casos positivos, tem caído no ranking do número acumulado de infetados, sendo já o quinto município em Portugal, com menos de metade do primeiro: Lisboa.

Também a região Norte continua a registar cada vez menos casos, estando praticamente com o mesmo número da de Lisboa e Vale do Tejo, quando em abril tinha quatro vezes mais infetados. Em casos ativos, o Norte tem agora números residuais, mas também isso não resulta de falta de testes ou rastreios.

Desde o início da pandemia e até ao dia 15 de junho, foram realizados na Região Norte 382.562 testes para COVID-19, ou seja, mais de 10% da população foi testada. A taxa de primeiros positivos registada foi de 4,48%, ou seja, 17.141 pessoas tiveram resultados positivos. Alguns destes positivos resultam de testes realizados noutras regiões por motivo de mobilidade dos cidadãos (que mantêm residência na região Norte). Contudo, a grande maioria destes casos foi registada nos até meados de maio e, desde aí, o número de testes positivos tem sido cada vez menor. A taxa de letalidade na região é de 4,61% e o número de internados até esta data foi de 11,01% dos que testaram positivo.

Não é, por isso, líquido que a testagem provoque inevitavelmente o aparecimento de casos positivos nem é por ausência de testagem que o Norte tem vindo a melhorar os seus números face a outras regiões.

Segundo os dados da Administração Regional de Saúde do Norte número total de testes realizados no município do Porto entre o dia 1 de junho e o dia 15 foi de 1.277, de que resultaram apenas 13 casos positivos, no início do mês. De referir que, a intervenção em Saúde Pública e dos Serviços de Saúde da região tem contribuído para a contenção da epidemia de COVID-19, refletindo-se na diminuição do número de novos casos numa fase inicial, e atualmente na manutenção de um reduzido de casos de infeção em residentes na região.

O Porto mantém ativo o primeiro centro de rastreio móvel do país, montado em colaboração entre a autarquia, um laboratório privado e a ARS Norte e mantem em funcionamento a normal testagem a casos suspeitos nos vários hospitais públicos e privados existentes na cidade. O número de casos muito reduzido ou quase inexistente nas estatísticas da DGS resulta pois do comportamento cívico que impõe manter, apesar do crescente e positivo desconfinamento que a cidade tem assumido.

O Porto decidiu esta semana desmontar o hospital de campanha no SuperBock Arena / Pavilhão Rosa Mota e a Pousada da Juventude, onde tinha criado um centro para acolher idosos com teste negativo mas sem lar que os pudesse acolher em segurança, deixou também esta semana de ter utentes pela primeira vez desde abril, dando-se assim como terminado o pioneiro trabalho de rastreio sistemático, separação e formação de todos os lares da cidade.

PUB - Suscreve o nosso canal Youtube e ativa as notificações 👇

Notícias relacionadas