Brinquedos eróticos e educação sexual dominaram Eros Porto 2022

Os brinquedos eróticos, a educação sexual e a arte do shibari, de amarrar com cordas o outro, foram alguns dos conteúdos que mais despertaram interesse entre os visitantes da 14ª edição do Eros Porto – Salão Erótico do Porto, que teve início quinta-feira e encerra este domingo, na Exponor.  

Ao longo dos últimos quatro dias, entre 2 e 5 de junho, o Eros Porto, o único evento erótico português, apresentou as mais recentes novidades do entretenimento adulto, educação sexual, artes eróticas, práticas sexuais e artigos para a intimidade, assim como espetáculos com os principais artistas e especialistas nacionais e internacionais.

Fazemos um balanço muito positivo desta edição, após a paragem forçada em 2021, devido à pandemia. Sentimos que, para muitas pessoas, o Eros Porto significou o regresso à normalidade, um reencontro com os grandes eventos e tal espelhou-se no entusiasmo e na adesão aos nossos conteúdos mais interativos”, refere Juli Simón, diretor do evento.

A mega loja erotictoc, marca portuguesa que patrocinou esta edição do Eros Porto, com tudo sobre o universo dos brinquedos eróticos, colocou em destaque os benefícios destes artigos para a saúde e a satisfação sexual. Milhares de pessoas, entre as quais muitos casais, procuraram aconselhamento sobre as opções mais indicadas, alguns adquirindo pela primeira vez um ou mais brinquedos eróticos e outros complementos com diferentes funcionalidades, da vibração, à sucção.  

A Sem Tabus, área dedicada à educação sexual, foi aliás uma das mais requisitadas no Salão Erótico do Porto deste ano, com um aumento significativo da procura do Consultório Sexológico e da participação em workshops, conferências e aulas sobre os mais diversos temas da sexualidade e dos relacionamentos. Para Rafaela Rolhas, psicóloga, especialista em sexologia clínica e porta-voz do Eros Porto, “notou-se uma evolução muito significativa, com as pessoas a quererem esclarecer dúvidas e aprender mais, sem receios de colocarem as suas questões. Em consultório, procuraram sobretudo uma explicação profissional para o que são os seus gostos e práticas sexuais.

No plano do entretenimento, a técnica japonesa do Shibari, que se estreou no Eros Porto em 2020, parece ganhar cada vez mais adeptos também em Portugal, tal como acontece um pouco por todo o mundo. Os shows de Amo Angelus não deixaram ninguém indiferente, com a demonstração das diferentes formas de amarrar o outro com cordas, em todo o seu detalhe e elegância. Com origem na arte marcial Hojojutsu, praticada no Japão feudal, a técnica ganhou conotação erótica no século XX, com a expansão dos conceitos de sadomasoquismo e dominação.

Entre os outros espaços que atraíram a atenção do público, destaque para o BDSM, com os castigos infligidos pelas dominadoras aos seus escravos, que incluíram spanking (pancadas com objetos), agulhas e alfinetes, medical (recurso a utensílios médicos) e enjaulamento.

Ainda de referir o grande interesse pelo mundo dos casais liberais, no espaço Swinger, pelos shows de pole dance e de outras danças exóticas, e pelos espetáculos mais explícitos heterossexuais, bissexuais, lésbicos, gays e transsexuais protagonizados por Silvia Rubi, Sheila Ortega, Pamela Sanchez, Salva DaSilva, Jesus Sanchez, Emilio Ardana, John Bracalli, Apolo Adrii ou Lludy Fortune, entre muitos outros artistas. 

Notícias relacionadas