Câmara do Porto disponível para ceder espaços para vacinação contra a Covid-19

O presidente da Câmara do Porto revelou esta segunda-feira ter disponibilizado apoio logístico para a vacinação contra a covid-19 à Administração Regional de Saúde do Norte (ARS-N), admitindo a cedência de dois locais para instalar centros de vacinação.

“Para a vacina da covid, a Câmara do Porto está disponível. Da mesma maneira que disponibilizamos dois locais para o rastreio da covid, no Parque da Cidade e em São Roque, admitimos, por exemplo que possa ser montada uma grande tenda num sítio qualquer ou em dois sítios da cidade”, afirmou Rui Moreira, durante a reunião do executivo.

O independente não tem dúvidas de que, quando as vacinas chegarem em grandes quantidades, os centros de saúde “não vão ter capacidade” para proceder à vacinação de todas as pessoas que o desejarem, podendo estas estruturas representar uma alternativa.

Rui Moreira adiantou que a disponibilidade logística do município para auxiliar na vacinação contra a covid-19 foi já comunicada ao presidente da ARS-N na reunião da Comissão Municipal de Proteção Civil que decorreu na quarta-feira.

“Aquilo que Carlos Nunes disse é que isso poderá ser necessário lá para abril, maio quando chegarem quantidades”, revelou o autarca, durante a discussão e aprovação de uma alteração ao protocolo de cooperação do programa de vacinação contra a gripe destinado a pessoas com mais de 65 anos, aprovado por unanimidade.

Em resposta a um pedido e balanço feito pelo vereador do PSD, Álvaro Almeida, o independente explicou que este protocolo serviu como “ensaio crítico” relativamente à vacinação contra a covid-19.

“Aquilo que não queríamos é que houvesse vacinas e não houvesse mercado local para vacinação. Havia pessoas que queriam fazer vacina da gripe, mas que não queriam ir aos centros de saúde porque temiam ter de conviver com pessoas infetadas. Utilizar a rede existente de farmácias é uma medida que, de alguma maneira alivia fortemente, a pressão sobre os centros de saúde”, indicou.

Comprometendo-se a apresentar ao executivo um balanço sobre o programa de vacinação da gripe sazonal, Moreira esclareceu que neste protocolo a autarquia paga apena o ato médico e não as vacinas.

Portugal contabiliza hoje mais 57 mortes relacionadas com a covid-19 e 2.099 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

O boletim epidemiológico da DGS revela que estão internadas 3.158 pessoas, mais 131 do que no domingo, das quais 502 em cuidados intensivos, ou seja, mais 19.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 6.191 mortes e 376.220 casos de infeção pelo vírus SARS-CoV-2, estando hoje ativos 70.426, menos 328 do que no domingo.

VSYM// ACG

Lusa/Fim

Notícias relacionadas