Paredes manifesta apreciação desfavorável para exploração mineira nas Serras do Porto

A autarquia considera que a proposta em averiguação num território que abrange uma antiga mina romana na Serra de Banjas põe em causa património cultural e natural.

A Câmara de Paredes informou ter emitido um parecer prévio desfavorável à exploração mineira que a empresa Beralt Tin and Wolfram pretende realizar em território do concelho e dos municípios vizinhos de Gondomar e Penafiel. Aquela autarquia do distrito do Porto refere que a sua oposição ao projeto foi comunicada na sequência de um pedido feito em novembro do ano passado pela Direcção-Geral de Energia e Geologia.

Esta crítica decorre do facto de a prospeção apontar para “um território com um importante património romano e vestígios arqueológicos de extrema relevância”, refere uma fonte. Alega, também, haver um projeto aprovado pela associação que gere o Parque das Serras do Porto, entidade que tem vários trilhos pedestres a passarem nesse território, indicando que o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) “chamou à atenção para a defesa das colónias de morcegos existentes nos poços dessas minas romanas”. A câmara acrescenta, ainda, que “nessa área existe mais património biológico importante, como é o caso do mato seco”.

A autarquia de Paredes afirma que nesta fase não foi fornecida à câmara “informação relevante” sobre o projeto, nomeadamente “a questão da construção da estação para tratamento de águas a extrair das minas, ou, por exemplo, qual o plano de gestão de resíduos da exploração”. Acrescenta, ainda, que por outro lado, que o município “ainda não teve acesso à Avaliação do Impacto Ambiental que um projeto como este obriga”. 

Notícias relacionadas