138 comboios suprimidos até às 08h00 devido a greve

A Comboios de Portugal (CP) efectuou apenas 114 das 252 ligações ferroviárias que tinha previstas entre as 00h00 e as 08h00 de hoje, devido à greve dos trabalhadores da Infraestruturas de Portugal (IP), disse à agência “Lusa” fonte oficial da empresa.

Tendo em conta o balanço executado pela CP, perto das 08h00, estavam programados 252 comboios e foram colocados em andamento 114, 4 de longo curso, 40 regionais, 40 urbanos de Lisboa e 30 urbanos do Porto.

O presidente da Associação Sindical dos Profissionais do Comando e Controlo Ferroviário (Aprofer), Adriano Filipe, afirmou que “a paralisação está a decorrer como previsto, estando a ser cumpridos os serviços mínimos”.

A greve contempla aproximadamente 300 trabalhadores do Comando e Controlo Ferroviário da IP, que regulam a pontualidade e a segurança de 100% das circulações ferroviárias, concentrados nas estações de Braço de Prata, Contumil e Setúbal, ou seja, nos centros de comando operacionais (CCO) de Lisboa, do Porto e de Setúbal.

Adriano Filipe explica que em greve estão os supervisores de comando ferroviário e de permanência geral de infraestruturas ferroviárias, adiantando também que, na justificação da greve, estão os pedidos de um sistema de formação profissional próprio para os centros de comando operacionais, de um sistema de avaliação e desempenho específico para estas funções e de uma actualização nas remunerações.

“E, se as coisas não se resolverem, vamos continuar com greves até que se resolvam”, avisou o presidente da Aprofer.

A IP já tinha avisado para os efeitos da paralisação.

Também a Fertagus alertou, na sua página eletrónica que, “face à greve anunciada na IP – Infraestruturas de Portugal entre as 00h00 e as 24h00, nos dias 12 e 14 de julho de 2022, encontram-se previstas fortes perturbações na circulação de comboios”.

Notícias relacionadas