Auxiliar do IPO morre após ser vacinada contra a Covid-19

Uma assistente operacional do Instituto Português de Oncologia (IPO) do Porto morreu no dia 1 de janeiro após ter recebido a vacina contra a Covid-19, no dia 30 de dezembro. A instituição esclareceu que não foi notada qualquer reação adversa à vacina.

Segundo o que foi apurado, a mulher tinha 41 anos e foi uma das 538 profissionais da instituição a receber a vacina no dia 30 de dezembro. O companheiro encontrou-a inconsciente na cama no quarto, mas já nada havia a fazer.

O IPO confirmou que a mulher recebeu a vacina contra a Covid-19 não “tendo sido notificado qualquer efeito indesejável nem no momento da vacinação nem nos dias subsequentes. O esclarecimento da causa da morte seguirá os procedimentos habituais nestas circunstâncias“.

O IPO sublinha que as causas da morte da funcionária estão ainda por apurar e que serão determinadas na autópsia.

Notícias relacionadas