Câmara do Porto homenageia rainha Isabel II

Desde ontem, domingo dia 18 de setembro, o edifício da Câmara do Porto exibe duas imagens de Isabel II nas visitas oficiais que a rainha realizou à cidade do Porto, em 1957 e 1985. As telas podem ser vistas da Avenida dos Aliados até dia 20 de setembro, cumprindo os três dias de luto nacional pela morte da monarca, que reinou durante 70 anos.

A rainha visitou oficialmente o Porto, com o seu marido príncipe Filipe, a 21 de fevereiro de 1957 e 29 de março de 1985. As fotografias são do Arquivo Municipal do Porto e foram escolhidas para prestar tributo à especial relação entre o Porto e o Reino Unido, durante um dos reinados mais longos da história.

Em 1957, com 30 anos, a rainha Isabel II iniciou a sua primeira visita oficial a Portugal. A 21 de fevereiro, almoçou no Palácio da Bolsa e visitou a Feitoria Inglesa do Porto. Num automóvel descapotável, o casal foi recebido de forma calorosa pelos portuenses, que se juntaram em massa nas ruas do centro histórico para ver os monarcas. Isabel II e o Duque de Edimburgo regressaram nesse mesmo dia a Londres, tendo seguido para o aeroporto pela Foz do Porto e Matosinhos.

Na segunda visita, a 29 de março de 1985, a rainha Isabel II, sempre acompanhada pelo marido, foi distinguida pela Câmara do Porto, recebendo as chaves da cidade. Recebida com um tapete de flores, Isabel II assistiu ainda a um desfile de barcos rabelos na ribeira portuense, almoçou na Casa do Infante e visitou a exposição “Os Ingleses e o Porto”, no Palácio da Bolsa.

O casal real foi acompanhado pelo Presidente da República, Ramalho Eanes, pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros, Jaime Gama, e pelo Presidente em exercício da Câmara Municipal do Porto, Carlos Brito (substituindo Paulo Vallada, presidente da Câmara Municipal do Porto de 1983 a 1985, que não esteve presente na cerimónia por motivos de saúde). A rainha Isabel II e o príncipe Filipe mostraram-se afáveis perante a multidão que os aplaudia, enquanto, mais uma vez, o Porto os recebia com entusiasmo.

Ao incluir o Porto no programa das duas visitas a Portugal, Isabel II quis dar destaque à relação especial da cidade com o Reino Unido. O comércio de vinhos do Douro, a partir do século XVIII, motivou a instalação no Porto de uma importante comunidade britânica. Os comerciantes ingleses dominavam, então, as exportações de Vinho do Porto, circunstância incentivada pela assinatura, em 1703, do Tratado de Methuen.

A comunidade britânica ganhou raízes na cidade, e teve uma influência que ainda hoje se sente na vida económica, social, política e cultural do Porto. Os ingleses e seus descendentes têm uma forte presença em setores estratégicos da cidade, como os vinhos, o turismo ou o imobiliário.

Notícias relacionadas